Novos estagiários do Programa Alesc Inclusiva se apresentam à Presidência

Os quatro estagiários recém-selecionados pelo Programa Alesc Inclusiva foram recepcionados no gabinete da Presidência da Casa na manhã desta quinta-feira (8). O grupo recebeu as boas-vindas do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gelson Merisio (PSD), e do presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, deputado José Nei Ascari (PSD).

Os estudantes serão empossados em fevereiro do próximo ano, com o reinício das atividades legislativas. “É mais uma etapa importante, pois, além de inserir novos estagiários, assegura a continuidade desse programa pioneiro, que gerou muitas outras iniciativas em Santa Catarina. Essa ação proporciona a inclusão da pessoa com deficiência na sociedade da melhor maneira possível, por meio da atividade laborativa”, destacou Ascari.

Inclusão social
Criado por meio da Resolução 5/2013, o Alesc Inclusiva completou três anos de funcionamento com a participação de 30 estagiários com diversos tipos de deficiência, como visual, auditiva, intelectual e física. “Tem sido um sucesso O estágio na Assembleia é uma referência muito importante para o acesso dos estudantes ao mercado de trabalho”, frisou a assessora da comissão, Janice Krasniak.

Os participantes trabalham 4 horas diárias, somando 20 semanais. O contrato de trabalho tem duração de um ano, com possibilidade de prorrogação por mais um.

Os estudantes de ensino médio recebem remuneração mensal de R$ 650. Já a bolsa dos alunos de ensino superior é de R$ 950. O auxílio-transporte concedido a todos os estagiários é de R$ 150. A novidade para o próximo ano é a concessão de vale-alimentação de R$ 600.

Oportunidade
Uma das estagiárias selecionadas é Tainá Aparecida Barboza, de 26 anos. A estudante de Química da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) vai atuar na Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Poder Legislativo.

Para ela, o estágio representa uma oportunidade de desenvolver competências pessoais e profissionais. “Quero aprender a lidar com as outras deficiências, porque só sei com a minha (nanismo). Além disso, tenho dificuldade de comunicação, sou tímida, então acho que trabalhar na Assembleia é uma oportunidade de melhorar isso, pois vou lidar com o público. Também é uma chance de entrar no mercado de trabalho.”

Outra estagiária do programa é a biblioteconomista e estudante de Nutrição na Universidade Estácio de Sá Giovanna Carolina Massaneiro dos Santos, de 25 anos. O estágio na Coordenadoria de Saúde será o primeiro na nova área de atuação. “Minha expectativa é das melhores! Quero aprender, ter novas experiências na área da saúde. Essa oportunidade também agrega no currículo, ainda na Alesc, que é uma instituição de renome.”

Conheça os estagiários

  • Karine Inês Ferreira Cardoso tem 29 anos, estuda Letras/Libras na UFSC e vai atuar na Escola do Legislativo (deficiência auditiva)
  • Tainá Aparecida Barboza tem 26 anos, estuda Química na UFSC e vai atuar na Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (nanismo)
  • Giovanna Carolina Massaneiro dos Santos tem 25 anos, é formada em Biblioteconomia, estuda Nutrição na Estácio de Sá e vai atuar na Coordenadoria de Saúde (deficiência física – monoparesia do membro superior direito)
  • Gabriel Bortoli da Silva tem 20 anos, estuda Engenharia Civil e vai atuar na Coordenadoria de Serviços Gerais (deficiência motora)

Cadastro de reserva
A coordenadora de Planejamento e Avaliação de Pessoal da Assembleia Legislativa, Josiane Montibeller, comunicou que foram selecionados mais cinco estagiários para a formação de um cadastro de reserva. “Nessa primeira fase, um deles já foi chamado porque um dos nossos estagiários passou num concurso público e liberou a vaga. Assim que as vagas forem liberadas, chamaremos os estudantes conforme a ordem de classificação.”

  • Matheus Soedi de Souza
  • Guillerme Jorge Silva
  • Maurício Henrique de Almeida Padilha
  • Cassiane Manoel Coelho
  • Igor Anacleto Rodrigues
Ludmilla Gadotti
Agência AL
Comente Abaixo