O brilho se apagou. Faleceu João Paulo, a eterna “Nina Buah”

O sorriso no rosto, vestido e o chapéu cor-de-rosa, sempre foram inconfundíveis no calçadão da Avenida Central. Mas nesta quinta-feira chuvosa o brilho se apagou.

Faleceu aos 39 anos, depois de uma longa luta contra o câncer, o artista João Paulo Gonçalves, que dava a vida à personagem Nina Buah, figura marcante de Balneário Camboriú.

JP, como gostava de ser chamado, comemorou recentemente em suas redes sociais a sua última sessão de radioterapia. O anuncio oficial da morte do artista foi feito pelo seu companheiro, nas redes sociais.

“É com o coração partido, despedaçado que comunico o falecimento do nosso querido João Paulo, nossa eterna Nina Buah . Lutou até o último segundo, mas infelizmente não foi possível. Sua alegria contagiante, seu bom humor ficarão para sempre em nossa memória e em nossos corações. Te amaremos eternamente meu anjinho. O céu é sua nova morada. Descanse em paz !” escreveu seu companheiro.

O velório acontecerá no crematório Vaticano em Balneário Camboriú a partir das 17 horas desta quinta, dia 02.

 

HISTÓRIA

Reconhecido pelo Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversão (SATED) de Santa Catarina, João Paulo era natural de uma cidade do interior de Minas Gerais, Serrania.

Com apenas 14 anos de idade se mudou para Balneário Camboriú e desde então nunca mais saiu. “Toda a minha documentação eu tirei aqui. Eu sou metade mineiro e metade catarinense”, diz. No dia 07 de setembro de 2004, aos 22 anos de idade, JP decidiu que tentaria a carreira nas ruas. “Coloquei no chão uma caixinha de papelão encapada de papel de presente e estacionei, porque eu queria muito viver da minha arte.”

Mesmo se apresentando sempre no mesmo local, tem fãs de todas as partes da cidade e em 2017 teve a chance de ser conhecido em todo o país após o convite do ator Lázaro Ramos para contar a sua história em seu programa na Globo.

Nina Buah e sua “filha” Judith (uma boneca de pano que foi dada de presente ao artista) ficavam em ação de oito a nove horas por dia na alta temporada, além de fazer eventos. Com influências circenses na maquiagem, Nina usa roupas iguais às da boneca, e todos os anos muda de figurino para variar um pouco os estilos da personagem. “O artista de rua tem que sempre tentar fazer algo inovador”, completa.

Publicidade