O fogo amigo que dá tiro no pé – Coluna Ácido Úrico

A maior desgraça que pode existir em um governo, é o tal do “fogo amigo”. Quem acha que mulher fofocando é um perigo, é porque não sabe a capacidade de destruição que pode ter a fofoca de homens, principalmente os acometidos por uma doença chamada “Ciúme de Macho”. Esta sim, é avassaladora.

Além de ter uma grande turma de cargos que não quer nada com nada e passa o dia fofocando pelos corredores ao invés de trabalhar, o governo Fabrício Oliveira ainda tem que lidar com os “inimigos do governo” dentro do próprio governo. Aquela turma que não pensa no coletivo e ta preocupado em fazer apenas a própria estrela brilhar.

O Fogo Amigo tem atrasado processos, criado intrigas, disseminado o ódio e tem brotado tudo quanto é tipo de boato pelos corredores. Até mesmo denúncias no MP, por parte de cargos comissionados, tem acontecido na atual gestão. E o pior, nada é feito para acabar com isso.

Se engana quem pensa que isso é coisa de peixe pequeno. Estamos falando de “Inimigos do Governo” no primeiro, segundo e terceiro escalão. É dose?

COSIP

Na manhã desta segunda-feira, dia 24, um jornal local publicou uma matéria sobre uma suposta redução de 30% nos custos de manutenção da iluminação pública de Balneário Camboriú.
Extremamente tendenciosa e claramente feita para acariciar um lado e bater em outro, o jornalista foi infeliz em fazer afirmações sem ao menos checar as informações. E pior, confiou tanto na fonte que divulgou uma investigação do Ministério Público que sequer existe.

A fonte, esse que vos escreve sabe muito bem quem é mas não pode divulgar, pois não tem como provar. Mas é sabido que a fonte da matéria do jornal já tentou anteriormente plantar essa mesma pauta neste mesmo jornal. A intenção? Acusar outro departamento de corrupção, sem provas, apenas para “queimar” o outro. Surgiram inclusive conversas de corredor, plantadas por esse mesmo “inimigo”. Sabe como é, a estratégia dos fracos é fazer com que mentira, dita várias vezes, vire verdade.

Desinformação

Confiando 100% em sua fonte e elogiando o departamento da controladoria do município, o jornal trouxe em sua matéria algumas informações que não procedem e podem serem facilmente conferidas no Portal da Transparência do Município.

Os fatos:

O texto diz que em janeiro de 2016, o município pagava R$500 mil para manutenção da iluminação pública. Sim, a licitação ocorrida em 2015, teve apenas uma participante e a mesma foi ganhadora com o valor de R$ 502.636,68 anuais.

O texto ainda afirma que graças ao trabalho da controladoria do município, o valor baixou para 380mil, o que não procede.
Em novembro de 2017, através da Tomada de Preços 188/2017, a mesma empresa foi a única participante e ganhadora do certame com o valor de R$ 405.971,55, quase 100 mil reais a menos do que vinha sendo pago desde a gestão anterior. Isso aconteceu graças ao trabalho do atual gestor da COSIP, Anderson dos Santos, e equipe, que fizeram ajustes nos processos, sendo possível essa redução.

Já em 2019, através da Tomada de Preços 97/2019, houve 3 participantes e a ganhadora, que tinha o menor preço, assinou o contrato com a prefeitura no valor de R$ 379.673,40.
Ou seja, em relação ao que estava sendo pago, a redução foi de aproximadamente 6% comparado a 2018.

A redução de verdade, na casa dos 20%, aconteceu em 2017 e não em 2019.

O texto ainda traz a informação de que os orçamentos iniciais passavam de 1 milhão. O que também não procede. As 3 participantes entregaram suas propostas de preço em envelope lacrado, e trouxeram os seguintes valores:

Como se pode ver no documento, a única empresa a apresentar valores acima de 1 milhão de reais, foi desclassificada, justamente por apresentar um valor acima do que foi estipulado no edital.

O texto afirma que os materiais de iluminação agora estão sendo controlados pelo almoxarifado central, o que também não procede, pois embora exista essa ideia, o almoxarifado não tem espaço físico para tal.

Para finalizar, a matéria ainda diz que o Ministério Público está investigando os fatos. Ainda diz que há suspeitas de conluio entre empresas licitantes com a participação de funcionários da prefeitura.
A afirmação além de muito grave, também não procede. Até o fechamento desta coluna, as 18:06, a prefeitura não havia recebido nenhuma notificação do MP e fontes ligadas ao órgão, não confirmam a existência qualquer tipo de procedimento aberto.

Fonte 

A fonte do Jornal precisa ser mais prudente ao jogar acusações para o alto sem ter provas de que a licitação foi “suspeita”. Só para esse tipo de “zéguedé” que uma licitação que o valor baixa e beneficia o município, pode ser chamada de “suspeita”. E pior, dar a entender que existe funcionários da prefeitura envolvido em maracutaia? Isso é grave hein?

A fonte ainda nem explicou direito as diversas “cacas” que fez nos últimos tempos. Desde licitações até convênios, tudo travou na mão do “Inimigo” que não se preocupava em resolver, apenas boicotar.

Fogo Amigo

O fogo amigo não para por ai. Foi justamente graças ao “fogo amigo” e a desavença pessoal com a empresa que fazia manutenção da iluminação pública em BC, que hoje a Terceira e Quinta Avenina não tem uma nova iluminação. Uma obra que é de suma importância, mas foi alvo de quem não se importa em ver a coisa andar, mas sente prazer em prejudicar os outros, mesmo que “os outros” façam parte do mesmo governo.

A atuação dos “Inimigos do Governo” acontece também na Educação, no planejamento, na segurança… . Vale denúncia no MP e até mesmo assinar recebimento de intimação em nome da prefeitura e ficar quietinho para a procuradoria perder o prazo de resposta. Tudo para ver o circo pegar fogo.

Eu quero acreditar que o alcaide não saiba que isso acontece. Pois se ele sabe, e mesmo assim não se livra destes “inimigos” que estão levando seu governo para o buraco, eu largo mão de acreditar que tudo isso ainda pode dar certo.

Comente Abaixo