Obras do novo emissário da EMASA são iniciadas

A galeria de drenagem da Avenida Atlântica começou a ser preparada para a obra do Emissário Pressurizado de Esgoto Bruto, que irá contribuir com a revitalização do Rio Marambaia. Para garantir que a galeria esteja 100% desobstruída para receber a obra, acontece mais uma inspeção e limpeza da tubulação, com auxílio do caminhão hidrojato.

O serviço iniciou nesta quinta-feira (04), no trecho da Rua 3700 e seguirá até a Praça Almirante Tamandaré. Em função do horário de maré, a limpeza acontece entre 8h e 12h. Nos trechos onde é executado o serviço, a ciclovia fica interditada e o trânsito em meia pista com sinalização para orientar os motoristas.

Durante a semana, também iniciou a mobilização e preparação do canteiro de obras, que será no terreno do antigo hotel Fischer, próximo da Rua 4000. “Estamos com o cronograma para a obra do emissário em andamento, com a preparação da galeria e do canteiro de obras, já com algumas tubulações sendo armazenadas lá. Assim que recebermos a licença final do Instituto do Meio Ambiente (IMA) a obra em si, poderá iniciar”, disse o diretor geral da Emasa, Douglas Costa Beber.

A empresa executora da obra para implantação do Emissário Pressurizado de Esgoto Bruto, é a SK Tecnologia Subaquática – EIRELI. O prazo de execução são 120 dias e o valor licitado da obra é R$ 1.525.673,04. Para possibilitar mais economia e agilidade, a licitação dos materiais ocorreu separada, com custo final de R$ 3.248.800,00.

Sobre o Emissário

O Emissário Pressurizado de Esgoto Bruto, que irá contribuir com a revitalização do Rio Marambaia, será feito por dentro da galeria de drenagem da Avenida Atlântica, o que gera menos impacto. Essa nova rede será construída da Rua 2001 (Barra Norte) até a Estação de Recalque da Rua 3700 (Barra Sul – embaixo da ponte do Rio Camboriú), levando toda a contribuição para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), do Nova Esperança. Será uma rede complementar que irá reduzir significativamente o volume de esgoto da rede atual já defasada, que em determinadas épocas do ano não dá conta da contribuição que chega. Esta obra é projetada para uma demanda que atenda os próximos 30 anos.

“O emissário é uma das ações que planejamos para contribuir com a revitalização do Rio Marambaia, assim como, o início dos testes com nanobolhas para melhorar a qualidade e odor da água, somados a legislação mais rigorosa, e a intensificação nas fiscalizações do programa Se Liga na Rede com os lacres que estão sendo feitos em ligações irregulares de esgoto. Estamos trabalhando muito para cuidar da qualidade de nossas águas”, disse o prefeito Fabrício Oliveira.

Comente Abaixo