Operação Reciclagem: Deputada e prefeito de Bombinhas são denunciados pelo MP

O promotor de Justiça da Comarca de Porto Belo, Fabiano Francisco Medeiros, ofereceu denúncia contra a deputada estadual, Ana Paula da Silva, a Paulinha (Podemos), e contra o prefeito de Bombinhas, Paulo Dalago Müller, o Paulinho, por corrupção durante o mandato de Paulinha como prefeita, que tinha Paulinho como vice. As informações são do Portal SC em Pauta.

De acordo com Medeiros, investigações apontam para um suposto esquema de corrupção na contratação pelo município, da Say Muller Serviços Ltda, para a execução dos serviços de coleta de resíduos sólidos e, depois, de lixo reciclável. Os administradores da empresa, Schirle Scottini Muller, Arnaldo Muller Júnior e Adriana Olinda Scottini, também foram denunciados. Importante informar que para o processo seguir, será necessário que a juíza da comarca acate a denúncia. A magistrada ainda não se manifestou e nem intimou os denunciados.

Na denúncia a qual o SC em Pauta teve com exclusividade, a parlamentar e o hoje prefeito, são acusados de terem dispensado irregularmente duas licitações para a contratação da empresa, tendo ainda, empregado artifícios para que os valores pagos pelos cofres públicos fossem superiores ao que era devido. O promotor também acusa Paulinha e Paulinho de terem recebido supostos pagamentos indevidos, por parte dos administradores da Say Muller.

De acordo com Ministério Público, no período inicial do contrato a hoje deputada e o prefeito que na época era vice, receberam valores para a aquisição de dois apartamentos em Bombinhas. Paulinha adquiriu um apartamento no Residencial Mirela, em negócio firmado no valor de R$ 450 mil. Desse total, R$ 50 mil foram pagos por ela ao vendedor do imóvel no dia da assinatura do contrato, sendo que o restante foi dividido em 10 “balões” de R$ 25 mil, que ficaram de ser quitados semestralmente. Já Paulinho adquiriu diretamente de uma construtora, um apartamento no Residencial Yasmin, em negócio firmado em R$ 600 mil. Ele deu uma entrada de R$ 100 mil em dinheiro à vista no ato da assinatura, mais R$ 250 mil que foram pagos com um lote localizado no mesmo bairro do imóvel comprado, que pertencia a Say Muller, empresa contratada para a coleta de lixo, também investigada, mais R$ 120 mil parcelado em 40 vezes de R$ 3 mil. Os R$ 130 mil restantes foram divididos em 6 “balões” de 20 mil, e mais um último reforço de R$ 10 mil.

Confira a matéria completa, com todos os detalhes da denúncia e da investigação, no link abaixo. 

EXCLUSIVO SC EM PAUTA: Deputada e prefeito são denunciados pelo MP

OPERAÇÃO RECICLAGEM DO GAECO

A Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) deflagrou no dia 10/04/2018, a Operação “Reciclagem”. Com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO).

Na ocasião, foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão e mais quatro ordens judiciais para o acesso imediato a documentos em órgãos públicos, em empresas e em residências nos Municípios de Bombinhas, Gaspar, Rio do Sul, Timbó, Ituporanga e Lontras. Todos os mandados foram expedidos pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina a pedido da Subprocuradoria-Geral para Assuntos Jurídicos.

A Operação “Reciclagem” decorre de investigações realizadas desde abril de 2017 pelo GAECO e visou apurar crimes praticados contra a administração pública – como concussão, corrupção ativa e passiva, tráfico de influências, advocacia administrativa, prevaricação, entre outros delitos correlatos. Dentre os investigados estão servidores públicos, empresários e pessoas ligadas ao ramo da coleta de resíduos.

Participaram da operação integrantes dos núcleos do GAECO de Itajaí, Capital, Criciúma, Joinville e Blumenau. O GAECO é uma força-tarefa formada pelo Ministério Público de Santa Catarina, pelas Polícias Civil e Militar, pela Secretaria de Estado da Fazenda e por outras instituições parceiras.

Publicidade