Pavan poderá ser candidato a prefeito de Camboriú, diz colunista

A Coluna do JC no jornal Diarinho trouxe um assunto que, até então, era apenas conversas de corredor, mas parece estar criando corpo nos últimos dias.

Somando a fala do colunista, as chances do “ex-tudo” Leonel Pavan vir como candidato a prefeito em Camboriú tem crescido cada vez mais.

Essa possibilidade tiraria toda e qualquer opção de concorrentes para o pleito de 2024 na Capital da Pedra. Pavan tem história em Balneário Camboriú, está se esquivando de “grandes incomodações” como uma prefeitura da Maravilha do Atlântico, mas cairia como uma luva numa cidade como Camboriú.

Pavan tem o caminho das pedras, experiência e todas as ferramentas para fazer Camboriú alçar voos gigantes, depois de décadas de atraso.

Confira a coluna na íntegra.

Blog do JC

Pavan candidato a prefeito de Camboriú

Entre os muitos amigos mais chegados e lideranças políticas locais, regionais e estaduais que foram levar seu cumprimento ao ex-senador, ex-governador , ex-prefeito, ex-deputado estadual , etc (ufa), atucanado Leonel Pavan, no dia 7 de setembro, por mais um aniversário “cívico”, completado no dia da Pátria, no seu hotel fazenda Caetés, na capital da pedrada e ex-do tiro ao vereador, Camboriú, estava o também ex-deputado e presidente da leleia, Gelson Merísio, tucano emplumado, também, de uns tempos para cá .

Merísio

Merísio é o principal pré-candidato tucano ao governo do Estado nas eleições do ano que vem, demonstrando que está empenhado em disputar novamente o cargo com o atual governador bombeiro Carlos Moisés, se este efetivamente confirmar a candidatura à reeleição, o que tudo está indicando neste momento.

Pavan

As conversas de bastidores, é claro, como não poderia deixar de ser, giraram em torno do clima político nacional, estadual e regional. Até uma possível candidatura de Pavan a prefa de Camboriú nas próximas eleições municipais de 2024 chegou a ser cogitada.  hummmm…

Foto (Divulgação)


Pavan será candidato a prefeito de Camboriú, diz colunista
Poucas e Boas – Por Gian Del Sent