PDT abre portas para Paulinha no MDB

As conversas de corredor que afirmavam o voo de Paulinha e Paulinho, ambos PDT, para o MDB tem se reforçado dia após dias.

Na nova fase “Moisés Paz e Amor”, o MDB tem ganhado espaço no governo estadual, se aliando ao que chamam carinhosamente de “Tríplice Aliança 2021”. Com um apoio indireto do governo do estado, o MDB conseguiu a presidência da ALESC, por unanimidade, em chapa pura nesta semana.

O burburinho vem se consolidando e ficando mais real. Paulinha que, contra o próprio partido se aliou a Moisés e até assumiu a liderança do governo na ALESC, agora foi suspensa pelo PDT e não pode mais responder pelo mesmo até que o processo interno termine. Mais um grande motivo para a deputada chutar o pau da barraca.

O posicionamento do PDT Nacional é um prato cheio para que ela, junto com Paulinho Dalago, migrem para o MDB, já que o PSL é direita demais para as ideologias que sempre defenderam.

A possível ida de Paulinha para o MDB coloca em saia justa dois outros nomes que sonham com uma cadeira no Legislativo Estadual e são da região da AMFRI. Elcio Kuhnen e Edson Piriquito perdem espaço com a ida da deputada para o partido mandabrasa e podem ver seus sonhos ficarem mais distantes.

JALECO 

Elcio Kuhnen tem um mandato fraco em Camboriú, devagar, polêmico e sem grandes feitos. Se reelegeu com o discurso da honestidade, usando como arma contra sua opositora uma investigação que ele também era investigado, mas ninguém sabia.

A única diferença entre Elcio Kuhnen e Luzia Coppi na Operação Terra Prometida, foi a prisão da ex-prefeita durante a investigação. Diferente de Luzia que não encontraram nada que a comprometesse, Elcio foi delatado por um dos presos na operação. Mas nenhum dos dois sequer foram denunciados ou viraram réu por algo.

Entre Elcio e Paulinha, o MDB vai priorizar quem fez um mandato impecável em Bombinhas e hoje tem uma cadeira na ALESC. Sem contar a grande possibilidade do atual grupo de Paulinho se manter no comando da cidade em 2024.

PIRIQUITO

Edson Piriquito perdeu força política há muito tempo, só ele não entende isso. Depois da saraivada que levou em 2016, Piriquito teve uma passagem ínfima pela ADR de Itajaí, foi assessor de senador e tentou se deputado em 2018, onde ficou em uma suplência bem longe de assumir. Teimoso, tentou a prefeitura em 2020, onde tomou mais uma lavada.

A articulação ruim minou o sonho de Piriquito de voltar ao comando de Balneário Camboriú. Beijinhos e abraços com Pavan, Auri e outros figurões, precedia um vídeo borbulhando ódio e rancor. O desgaste da Operação Trato Feito vai ser bem difícil de reverter, principalmente pelo fato dele ser réu e o processo ainda rolar na justiça.

Com a imagem desgastada, fraco politicamente e sem palanque para subir, Piriquito é mais um que pode ser jogado para escanteio caso Paulinha assine a ficha e troque o quadro da sala com a foto de Brizola por uma de Ulisses Guimarães.

 


 

PDT abre portas para Paulinha no MDB
Coluna Ácido Úrico – Por Gian Del Sent