Pedreiro com dengue hemorrágica espera 8 horas por atendimento do Hospital Marieta

Um pedreiro de Itajaí esperou oito horas para ser atendido, ontem, no hospital Marieta Konder Bornhausen. A denúncia foi feita pela filha do paciente.

A dona de casa Núbia Paloma Pereira, 25 anos, chegou ao hospital com o pai, Felicio Pereira, 55, às oito horas da manhã. Ela só conseguiu atendimento por volta das 16h.
O pedreiro está com dengue hemorrágica, o pior quadro de dengue, e chegou malzão no hospital. Ele estava com 40 graus de febre e a pressão super baixa.



Núbia conta que ele ficou atirado no corredor sem atendimento. “Meu pai tremia, sentia muitas dores, pedi para colocarem ele numa maca, para deitar e ficar mais confortável. Disseram que o lugar dele era na cadeira, esperando”, conta a filha.

Saiu da recepção

O jornal Diarinho recebeu a denúncia e foi até o Marieta pra conversar com o pedreiro e a filha dele. Ao chegar no hospital, a filha disse que o pai tinha acabado de ser atendido. Isso foi volta das 16h de ontem. “Acho que levaram ele pra dentro para esconder. Disseram que iam colocar ele no soro, mas só isso não adianta”, acredita Núbia.

A direção do Marieta disse que o paciente deu entrada no hospital ao meio da manhã de ontem e foi atendido logo em seguida. Ele teria feito exames e permanece internado, sendo medicado e tratado conforme orientação médica.

Por Diarinho

Comente Abaixo
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.