Pequenos produtores de cachaça de SC querem aumentar exportações

Evento que terminou neste domingo em Criciúma reuniu expositores.
Mudança tributária é principal aposta para crescimento do mercado.

A cachaça, uma das bebidas mais tradicionais e populares do Brasil, vem ganhando cada vez mais espaço em Santa Catarina. O estado produz, por ano, 6 milhões de litros, como mostrou a RBS TV. Uma das apostas do setor é a mudança tributária que reduz encargos para os pequenos produtores.

A cachaça começou a ser produzida em Santa Catarina pelos imigrantes açorianos. Mas foram os poloneses, italianos e alemães que levaram a tradição para o interior. Entre quintaq-feira (10) e este domingo (13), o 1º Festival Cultural da Cachaça Criciúma, no Sul do estado, reuniu cerca de 60 rótulos da bebida.

No festival foram oferecidos produtos para quem está pensando em montar o próprio alambique – dos equipamentos mais simples até os mais modernos. É o caso de um alambique a vapor com sistema de visores.

“Com a mais alta tecnologia de resfriamento, economia até 50% de água no processo de fabricação da cachaça”, mostra o empresário Lenizio Barbosa dos Santos.

De olho nas exportações
No final do mês passado, foi sancionada pelo governo federal uma medida que inclui produtores artesanais de cachaça, cerveja e vinho no Simples Nacional, que reduz a carga tributária. “Com certeza vai tirar muitos produtores da informalidade e do anonimato”, avalia o empresário Joelson Manuel Cardoso.

Santa Catarina produz anualmente 6 milhões de litros de cachaça (Foto: Reprodução/RBSTV)
Santa Catarina produz anualmente 6 milhões de litros de cachaça (Foto: Reprodução/RBSTV)

Ele começou a produzir cachaça artesanal há um ano, em Cocal do Sul. Atualmente, ele vende o produto feito pelo antigo dono do alambique, mas já plantou quatro hectares e meio de cana-de-açúcar. A partir de 2017, ele pretende produzir 60 mil litros de cachaça por ano.

Leandro de Melo Silveira, presidente da Associação Catarinense dos Produtores Artesanais de Aguardente de Qualidade (Acapaaq), vê o aumento das exportações com otimismo. “A gente fala que a cachaça é o símbolo nacional de oportunidade, porque o Brasil exporta apenas 1% do que produz. Temos um mundo para levar a nossa cachaça, e a um preço elevadíssimo”.

(Por G1 SC)

Comente Abaixo