Pilotos e comissários aceitam proposta do TST e cancelam greve

Pilotos e comissários aceitaram a proposta feita pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho) e cancelaram a greve marcada para ocorrer a partir da meia-noite da segunda-feira (29) em todo o país.

Em uma mediação realizada pelo tribunal nesta sexta-feira (26) entre o SNA (Sindicato Nacional dos Aeronautas, que representa pilotos e comissários) e o Snea (Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias), o ministro Alexandre de Souza Agra Belmonte fez uma nova proposta que foi aceita pelas empresas e, após votação encerrada neste sábado (27), pelos trabalhadores.

Nela, ficou definido que será concedido um reajuste imediato de 75% das perdas com inflação (INPC) dos últimos 12 meses nas parcelas fixa e variável do salário, e 100% da correção da inflação dos últimos 12 meses nas diárias de alimentação nacionais e vale alimentação de pilotos e comissários. Ainda ficou definido que a convenção coletiva de trabalho dos aeronautas será renovada na íntegra.

Pleito dos trabalhadores

Pilotos e comissários pleiteavam a recomposição salarial das perdas com a inflação nos últimos 24 meses. Em 2020, não houve aumento devido à pandemia, e foram firmados acordos coletivos e negociadas suspensões de contratos, licenças não remuneradas e redução de jornadas e salários.

Antes da reunião desta sexta-feira, as empresas haviam proposto manter os salários fixos sem reajuste e aumentar, de acordo com a inflação dos últimos 12 meses, apenas os benefícios, como vale alimentação, e a parcela variável do salário, que corresponde à quantidade de horas ou de quilômetros voados.

Após a proposta feita ontem, 6.956 pilotos e comissários votaram para decidir se aceitavam ou não o reajuste nos moldes do que o TST indicou à categoria. Ao todo, 53,68% de votos foram favoráveis à proposta, e 45,56% de votos contra, além de 0,76% de abstenções.

Com a aceitação da proposta pela categoria, também ficam canceladas as manifestações que estavam programadas para acontecer em cinco aeroportos: Congonhas (SP), Brasília (DF), Porto Alegre (RS), Santos Dumont (RJ) e Viracopos (SP).

Aeroviários têm greve marcada

Ainda na sexta-feira, outra categoria de trabalhadores ligados à aviação anunciou o início de uma paralisação em vários locais do país. Os aeroviários (profissionais que não trabalham a bordo das aeronaves e se concentram nos serviços no solo) agendaram uma greve a partir das 6h do dia 30 de novembro.

Até o momento, a categoria deve cruzar os braços em Guarulhos (SP), Porto Alegre (RS) e Recife (PE). Em todas as regiões, o pleito é a reposição das perdas salariais com a inflação.

As empresas do Snea (Azul, Gol, Itapemirim, Latam, Latam Cargo e Voepass) propõem um valor menor, o que foi recusado pela categoria, que optou por seguir com a greve.

Publicidade