POLÍTICOS, PAREM! Vocês estão destruindo Balneário Camboriú

02 de Julho de 2004. Era sancionada a lei 13.039/2004 que reconhecia a cidade de Balneário Camboriú como Capital Catarinense do Turismo. Projeto do então deputado Dado Cherem, concedia o merecido título a estonteante cidade do litoral catarina.

Hoje, o nome de Balneário Camboriú está rodando o Brasil. Mas infelizmente, desta vez, não é motivo de orgulho para nossa cidade.

Os assuntos que estão circulando no Brasil são os mais diversos. E o pior, divulgado por quem é daqui, replicado por amigos, amigos dos amigos e, em pouco tempo, o nome da cidade vai sendo viralizada da pior maneira possível pelos quatro cantos do país.

Uma das mensagens que recebi em um grupo do oeste catarinense, falava que uma enxurrada tinha destruído Balneário Camboriú. O texto dizia: “Camboriú já era. Destruiu toda a orla da praia. A cidade terá um prejuízo sem precedentes para as próximas temporadas. É lastimável ver isso.”
As imagens que acompanhavam o texto? Aquelas que somos acostumados a ver desde sempre. Os carros embaixo da água na rua Síria, a areia da praia comida pela água, a Atlântica transbordando por cima da calçada. Tudo aquilo que vemos todos os anos e no dia seguinte já está em ordem.

Outras mensagens fala da poluição da praia baseada na amostra de apenas UMA coleta do IMA. Manchetes em jornais de todo estado, e do Brasil, falam da suposta poluição da praia de Balneário Camboriú e mostram fotos de algas e briozoários na areia. Máquinas juntando aos montes e caminhões levando embora. Sim, aquela cena que vemos há muitos anos. Acontece em todo verão e no dia seguinte está tudo bem.

Outras falam do Rio Marambaia. Como esse Rio tem dado o que falar. Todos os dias os paladinos do meio ambiente soltam o verbo falando mal do estado do Rio. “Poluído como nunca esteve” é o argumento usado por quem quer gravar vídeo ou fazer textão no Faceboook. Sim, o Rio que conhecemos muito bem e sabemos que só nadou ou pescou neste Rio, quem está há mais de 40 anos na cidade e sabe que há pelo menos 30 anos, ele está exatamente igual. Preto, fedorento e morto.

Ah, mas agora está mais frequente”. Não, não está.
A frequência continua sendo a mesma de décadas. A diferença é que o acesso fácil e a troca de informação imediata, tornou o compartilhamento destas imagens muito mais rápida, fácil e carregada de falta de conhecimento e bom senso. Isso acarreta outro problema. Na busca do “lugar ao sol” no meio das informações, todos querem dar uma palhinha e aparecer também. Com isso, multiplicam cada vez mais a informação que todos já conhecem.

Ver isso do cidadão comum, até é compreensível.
O que angustia, e dá o título deste artigo, é ver isso partindo de pessoas politizadas.
Não é somente o político partidário, é as politizadas, inteligentes e que tem acesso a informação na palma da mão. As mesmas pessoas que dispõe da tecnologia para buscar as informações, checar, buscar a veracidade e que poderiam usá-las para desmentir, desmitificar e acalmar os ânimos.

Na parte da política partidária, vemos políticos locais, agentes públicos e políticos que nem são da cidade, criticando e botando defeito em tudo o tempo todo. Como se os problemas que eles apontam, fosse alguma novidade para quem realmente conhece essa cidade.

Sabe a consequência disso tudo?
O nome da cidade de Balneário Camboriú sendo jogado na lama. Sendo mal falada no Brasil inteiro e até no exterior. Prejudicando a cidade, o comércio, a geração de emprego, a geração de renda e o povo, pois impacta diretamente nossa principal matriz econômica, o turismo.

As pessoas não tem ideia dos prejuízos que estão causando a elas mesmas ao fazerem isso. Divulgam, replicam, insistem, rebatem e a palavra “absurdo” tem entrado no top5 das mais escritas nestas postagens. Mas não fazem ideia que estão simplesmente cuspindo pra cima.
Até mesmo gente que está pleiteando construir um projeto megalomaníaco por aqui, tem ajudado a queimar o nome da cidade. Como ser o empreendimento seis estrelas deles, fosse ter algum sucesso na cidade de “enseada doente” e com “leptospirose no mar” que eles tem pregado com o único intuito de fazer politicagem.

Outros que tem divulgado vídeos, imagens, áudios com comentários cheios de “aulas” são os membros do grupo político que administrou Balneário Camboriú por 20 anos. Os mesmos que estavam a frente da cidade quando Balneário Camboriú “explodiu” e se tornou o destino mais desejado do Brasil. É este grupo que fala do esgoto, do rio, da praia e do turismo. Mas quando estavam a frente da cidade, no auge de sua expansão, nada fizeram para evitar estes mesmos problemas que hoje criticam. Muito pelo contrario, ajudaram a cidade crescer desenfreadamente e sem nenhum planejamento em infraestrutura. Um grande exemplo é o aterro feito na Barra Sul em 2003, com sedimentos do Rio Camboriú, que piorou a situação sobre o surgimento de briozoários e algas na praia. Os mesmos que, em 89, pegaram a cidade com um emissário de esgoto já defasado e nunca fizeram nada para resolver. Mas hoje, são os primeiros a falar dos problemas e difundir nas redes sociais, para seus milhares de seguidores, cooperando para jogar no lixo um nome que eles mesmos ajudaram a construir.

O mesmo acontece com a antiga administração, ficou por 8 anos a frente da cidade, maquiou problemas graves, empurraram com a barriga orientações do MP e praticamente entregaram a cidade do mesmo jeito que pegaram. Com os mesmos problemas, mas com uma maquiada que estampou jornais e vídeos de campanhas eleitorais. Viviam os mesmos problemas que a cidade vive há décadas, e nada fez para mudar. E para ajudar, tinham praticamente toda a imprensa, muito bem agraciada, quieta e em silêncio. Sem os grupos de WhatsApp e sem os vídeos no Facebook.

A atual administração? Assiste a tudo isso calada, inerte, acuada e indiferente. A administração, que boa parte dos membros fizeram parte dos governos anteriores, simplesmente assistem Balneário Camboriú perdendo o encanto e tendo o nome rechaçado, sem nem mesmo acionar judicialmente quem solta informações falsas.
O maior problema da atual administração foi ter dito “vamos resolver”. Ações a passos de tartaruga, constantes interferências do MP, sem soco na mesa e com a incompetência de vários, não tem mostrado os devidos resultados.
Antes não tivesse dito que iriam resolver. Pois é justamente essa fala que tem sido usada como combustível para a oposição, irresponsavelmente, estar espalhando o nome de Balneário Camboriú como o pior destino do país. Enquanto isso, o nome de Balneário Camboriú tem agonizado nas capas de jornais, nas colunas de jornalistas que adoram uma polêmica e nos celulares do Brasil inteiro, como a cidade que você não deve ir.

Mas quero dizer, e que isso seja sim compartilhado, a NOSSA BALNEÁRIO CAMBORIÚ continua linda, imponente, aliando a selva de pedra e a natureza no mesmo lugar. Não é a Dubai, longe de ser. Mas continua sendo a NOSSA BALNEÁRIO CAMBORIÚ. Com o Rio Marambaia fedendo igual estava em 1980, com as algas e briozoários igual a 2000 e com a beleza e encanto que a acompanha desde sempre.

Então, por favor, políticos e politizados. APENAS PAREM!
Briguem por política, reclamem dos problemas da cidade, dos buracos nas ruas e da fila no hospital.
Mas deixem nossa cidade, a Capital Catarinense do Turismo, VIVER.

 

 

Texto: Gian Del Sent
Foto: Marcelo Fernandes/FG Empreendimentos