Por onde anda o Caminhão do Peixe de Balneário Camboriú? O Visse descobriu!

Desaparecido das ruas de Balneário Camboriú, desde março de 2018, o caminhão do peixe tem feito muita falta para pessoas de baixa renda que gostam de comprar um pescado baratinho e fresquinho.

O programa social do Governo Federal foi implantado em Balneário Camboriú há muito tempo, mas não vai para as ruas tem mais de 4 anos e deixou a galera a ver navios, questionando por onde anda o famoso Caminhão do Peixe.

Recentemente rolou na mídia que o caminhão estava abandonado no pátio da COSIP. Isso eu mesmo vi há muito tempo. Sem uso e embaixo de sol e chuva, o caminhão estava parado por lá. Depois do bafafá, levaram o caminhão para o pátio da secretaria de obras, onde ficou por alguns dias. Logo depois levaram ele para o pátio da secretaria de segurança do município.

Pois bem, a comunidade não quer saber onde ele está, mas sim quando ele volta para as ruas para vender o pescado para a galera. A resposta é curta e grossa: NUNCA MAIS! 

A reportagem do Portal Visse foi atrás de algumas informações recebidas e não demorou muito para descobrir não só o paradeiro do caminhão, mas também outras informações que deixarão os moradores de Balneário Camboriú de cabelo em pé.

Acontece que o caminhão do peixe foi DEVOLVIDO pela Prefeitura de Balneário Camboriú ao Ministério da Agricultura, pois não existia interesse do município em continuar com o programa. Havia também muitos documentos em atraso no DETRAN, que não foram regularizados pelo município. A informação foi confirmada por um funcionário da Superintendência do Ministério da Agricultura em Santa Catarina.

“Este veículo foi devolvido pela prefeitura pois não tinha utilidade, estava com pendências documentais junto ao DETRAN e há muito tempo parado. É um veículo de ano 2010 ou 2011, não me lembro agora, e está com apenas 24 mil km.” confirmou o servidor Celso, do setor de transportes da superintendência.

O caminhão foi levado embora RODANDO, em abril deste ano de 2022, e hoje se encontra no pátio da Superintendência do Ministério da Agricultura, no bairro Kobrassol, em Florianópolis. Questionado se o veículo estava sendo encaminhado para outro município, o servidor não soube dizer.

Documentos atrasados

Consultando os dados do caminhão do peixe, placa JIB-9849, é possível confirmar que o mesmo pertence ao Ministério da Pesca, hoje secretaria, vinculado ao Ministério da Agricultura. Trata-se de um Iveco 170E, ano 2010, e está com os documentos atrasados desde 2019.

Na parte de débitos, o veículo possui licenciamentos atrasados de 2019 a 2022. O impressionante é que a dívida relativa aos licenciamentos do veículo não chega a 500 reais, o que mostra que a prefeitura não teve nenhuma vontade de resolver a situação enquanto estava com a posse do veículo.

Em março deste ano, a Rádio Menina fez uma matéria sobre o assunto denunciando o abandono do veículo no pátio da COSIP. Na ocasião, a versão dada pela responsável pela pasta da Inclusão Social contradiz com os fatos que ocorreram após a denúncia.

“Segundo a Secretária de Inclusão Social de Balneário Camboriú, o caminhão está estragado e não é responsabilidade do município. “Ele está necessitando de conserto e já enviamos vários ofícios para Brasília e não obtivemos resposta. Não é nossa responsabilidade enquanto cidade arrumar, já que ele é do Governo Federal. Hoje, o foco da gestão municipal é outro, com o Programa Cartão Social, por exemplo”, enfatizou a secretária.” (trecho da matéria publicada em 08 de março de 2022)

Se o caminhão estava estragado, como ele foi andando até o pátio da secretaria de obras? Como ele foi rodando até a secretaria de segurança? E mais ainda, como ele foi rodando até Florianópolis, na sede da superintendência após a devolução do município, estando estragado?

Não é de responsabilidade do município arrumar pois é do Governo Federal? Mas como a prefeitura estava mantendo ele até então? Há inclusive uma matéria no site da prefeitura, de 2014, em que avisava que o caminhão iria parar para manutenção. Itajaí também faz a manutenção do veículo deles. São José, idem. Florianópolis, igualmente. Só em Balneário Camboriú, depois de 2018, a manutenção passou a ser responsabilidade do Governo Federal?

As perguntas são inúmeras, a história não ficou muito clara e mais uma vez quem perdeu foi a população.

 

Publicidade