Poucas e Boas – Mentira tem perna curta, dia do jornalista, puxa saco

Ontem, dia 07 de abril, foi dia do jornalista. Comemorar? Não, não tenho nada.

No dia do jornalista, fui criticado por “só falar coisa ruim da prefeitura de Camboriú” e não falar as coisas boas que o governo faz. Oi? Jornalismo agora é fazer propaganda de meio fio pintado? Por favor! Parem de fazer coisas erradas, que a imprensa para de publicar coisas ruins. Eu tô falando de imprensa séria, não aquela que ganha 500 pila de publicidade e divulga até plantinha em canteiro. Isso é função de puxa saco.

Por falar em Camboriú, o prefeito Élcio Kuhnen gravou um vídeo parabenizando os jornalistas pelo dia.

TOME VERGONHA NA CARA ÉLCIO KUHNEN! Você e seus capachos!

Você é o que mais desmoraliza a imprensa e, junto com seus leões de chácara, vão nas postagens tentar denegrir a imagem dos veículos, criticar jornalistas, falando de credibilidade e afins.

Você foi pra rádio dizer que a matéria do Portal Visse era “fake news”, quando o portal publicou que você estava com COVID na época da campanha. E pior, sabia que estava positivo e estava batendo perna por ai.

Seus peões são treinados para não responder alguns jornalistas, deixando os profissionais no vácuo e tendo que procurar outros meios para obter informações que seus subordinados são obrigados a responder.

Você mandou enviar o vídeo, parabenizando jornalistas, em um grupo de imprensa da prefeitura que até poucos dias era proibido os profissionais se manifestarem, pois você e sua equipe não aceitam reclamações e críticas de jornalistas.

Há um ano, em abril de 2020, eu, jornalista, fui acusado pelo teu chefe de gabinete de “picuinha política” e de propagar mentira, por denunciar que um carro que você recebeu da Receita Federal em 2018 ainda não havia sido transferido para a prefeitura, por incompetência da sua equipe. Estamos em abril de 2021, e o carro continua na mesma situação.

Há diversas outras situações onde você e sua equipe, que também tem jornalistas, insultaram a imprensa por falar a verdade e denunciar as besteiras feitas pelo seu governo. Então lave a boca antes de falar da minha classe!

Nomeação ilegal 

Não basta anunciar em janeiro uma secretária que não estava apta para assumir a função. Tem que nomear ela quase 4 meses depois do mesmo jeito. A nova secretária de educação de Camboriú foi nomeada estando ativa ainda na secretaria de Educação do Estado.

No seu programa vespertino, o chefe de Gabinete colocou a culpa no Estado, dizendo foi eles que não publicaram a suposta aposentadoria dela. Mas a matéria da prefeitura não disse que ela estava aposentada desde o início do ano?

Não existe “problemas burocráticos”, existe uma portaria de licença ou aposentadoria que não foi publicada e ponto! Existe a má fé tanto da servidora quanto da gerência regional da educação que permitiu isso e fez as coisas por baixo dos panos. Fato este que um “jornalismo responsável” trouxe a baila e a prefeitura se “retratou”.

E ainda pergunto: Se a portaria de nomeação dela foi cancelada e ela ainda está ativa no Estado, porque Maria Alice estava participando da entrega dos uniformes, com aglomero, hoje pela manha? Porque ela ainda aparece como secretária de educação do município no site da prefeitura?

Parem de mentir. A mentira tem perna curta e a verdade sempre aparece.

Caetés

Por falar em mentira de Camboriú, a subida da estrada dos Caetés, que da acesso ao tal do mirante, ainda não esta pronto. Embora a previsão era novembro do ano passado, a pavimentação não saiu ainda. Em fevereiro (02), a prefeitura publicou dizendo que a obra estava em “estágio avançado”. Poxa, atrasada em estágio avançado?

A obra, que nem está pronta, terá que ser refeita. Foi anunciado pela prefeitura uma “readequação” devido as “chuvas de março”. A obra da concretagem da sarjeta, anunciada em fevereiro, foi toda perdida com a chuva.

Mas calma, em março choveu forte início do mês. Um mês depois da prefeitura anunciar que estava em “estágio avançado”. Não deu tempo de asfaltar em 1 mês? Se o asfalto tivesse pronto, a realidade seria outra.

São mais de 960 mil reais naquela obra. E agora? Quem paga esse prejuízo?


Poucas e Boas – Mentira tem perna curta, dia do jornalista, puxa saco
Por Gian Del Sent