Poucas e Boas VI – Coluna Ácido Úrico

Vergonha Alheia 

A ACIBALC, leia bem, ACIBALC – Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú. Isso mesmo, uma associação de Balneário Camboriú e Camboriú, lançou uma campanha em parceria com a AMFRI, para sensibilizar empresários para ajudar dois hospitais de Itajaí. Sim, de Itajaí. A entidade de Balneário e de Camboriú, está liderando um movimento para ajudar dois hospitais de Itajaí.

Hospital Ruth Cardoso ainda agoniza sendo sugado por toda a região da AMFRI. O Hospital de Camboriú fechado sem dinheiro para abrir o atendimento para a população. Balneário Camboriú precisando de um tomógrafo novo, um raio-x novo, precisando de reforma nas unidades básicas e os bonitões da ACIBALC fazem campanha para ajudar hospitais de Itajaí ,que recebem milhões do governo do estado todos os meses.

Tudo bem que o Hospital Ruth Cardoso não pode receber dinheiro de entidade, pois sua concepção jurídica não permite. Mas o município pode receber equipamentos como doação e direcionar para a Saúde. Camboriú tem um hospital montado e pode receber uns pila.

Qual a intenção da entidade em fazer isso? Tirar onda com a população de Balneário ou fazer moral com Morastoni?

Vergonha Alheia II

Ouvindo o pronunciamento da Margot Rosenbrock ontem na Tribuna Livre da Câmara de Vereadores, me senti envergonhado em ser balneocamboriuense ao saber que o orçamento para o turismo no ano que vem é equivalente a 0,39% do orçamento total.

O valor de 4,9 milhões de reais para 2020, limita ainda mais o trabalho da secretaria, pois mais da metade disso vai para folha de pagamento. Ou transforma em Fundação e possibilita que seja angariado mais recursos por outras fontes ou aumenta esse percentual. Falta inclusive um bom departamento jurídico e de projetos no turismo, tem programas a nível federal e estadual só esperando um bom projeto para fazer o repasse. Isso sem contar as parcerias PPP ou concessões que podem serem feitas. Convention Bureau parece que trabalha sozinho na causa.

Ai volto ao assunto da Acibalc. Tanto o comercio quanto as empresas, em sua grande maioria, dependem do turismo para viver. Até mesmo a construção civil, só é o que é, graças ao destaque que Balneário Camboriú teve através do Turismo. Será que é tão difícil mobilizar esse pessoal nesta causa? Ou é tipo ano passado, que fizeram tudo de última hora e não conseguiram nem mesmo captar recursos via Rouanet?

A Câmara de Vereadores, que foi palco da aula dada por Margot, poderia diminuir seu percentual de duodécimo, com o compromisso do prefeito destinar esse 1% para o turismo. Seria um bom impulso para fomentar o segmento que move a nossa cidade. Não é?

Comente Abaixo