Primeiro caça F-39 Gripen da FAB chegará de navio pela Portonave

O primeiro Gripen da Força Aérea Brasileira (FAB) está chegando ao Brasil. Navegantes foi a cidade escolhida para a realização da operação portuária de desembarque e operação aérea que levara o caça construído na Suécia até a fábrica da Embraer.

A chegada do caça sueco ao Porto de Navegantes está prevista para este domingo, dia 20 de setembro. Será uma data histórica para a FAB e para Navegantes.

Por que Navegantes?

Antes de esclarecermos os detalhes sobre todo histórico que envolve a compra de 36 jatos Gripen, vamos responder a pergunta que mais nos interessa: por que Navegantes?

Nossa cidade tem as melhores condições portuárias para receber o o avião militar e a menor distância entre o Porto (Portonave) e o Aeroporto de Navegantes. Além da distância, também as condições viárias são favoráveis para se fazer o translado.

Do Aeroporto de Navegantes a aeronave seguirá até Gavião Peixoto, no interior paulista, onde passará por uma extensa programação de testes no Brasil, onde serão validados requisitos do projeto e suas especificações pela FAB.

Os caças suecos e seu histórico

Em 1995, o governo federal, do então presidente Fernando Henrique Cardoso, deu início a tratativas para a compra de aviões caças para a Força Aérea Brasileira (FAB).

Foi no governo do presidente Lula que se definiu que a escolha deveria recair sobre aeronaves que dessem a oportunidade do Brasil dominar a tecnologia. Contudo, foi apenas em 2013, durante o primeiro mandato da Presidente Dilma Roussef, que a compra foi efetuada.

Três gigantes da aviação disputaram o certame e a escolha da Presidente e do Comando Militar da Aeronáutica da época optaram pelos Gripen da Suécia.

A Boing (EUA), a Bombardie (França) e a Saab (Suécia) apresentaram suas propostas. Foi a empresa sueca que ofereceu a transferência de tecnologia, o que permitirá ao Brasil, produzir, no futuro seus próprios aviões caça de última geração.

Os 36 caças custarão mais de 4 bilhões de dólares, mas colocarão nossa Força Aérea em condições de igualdade com as principais forças similares dos países emergentes.

Pela complexidade do programa o Gripen F-39E ficará longe da vista da maioria, mas deverá realizar uma aparição pública no dia 23 de outubro, Dia do Aviador, em um voo especifico que ocorrerá em Brasília.

O protótipo enviado ao Brasil é o primeiro dedicado a FAB, tendo realizado seu voo inaugural em agosto de 2019. Durante os últimos meses o jato acumulou uma série de ensaios, iniciando agora a fase de avaliação no Brasil, onde deverá cumprir missões especificas dentro do clima e da geografia nacional.

A máquina

Segundo a Saab, o protótipo 39-6001 é o primeiro da família Gripen NG a dispor do novo cockpit com tela única panorâmica e sensível ao toque. Designado como Wide Área Display (WAD), o Sistema é similar ao existente do caça norte-americano de quinta geração F-35. Inclusive, a plataforma desenvolvida no Brasil ofereceu uma capacidade superior ao existente no modelo sueco, que emprega diversos displays, o que levou a Força Aérea da Suécia a adotar o mesmo padrão brasileiro.

O exemplar brasileiro ainda conta com um novo sistema de comando de voo (FCS, na sigla em inglês) que dispõe de novas leis de controle e modificações pontuais de hardware e no software. Os dados obtidos pelo protótipo da FAB serão compartilhados com a Saab e com os aviões suecos, mantendo uma comunidade de sistemas entre os aviões.

Brasil participa de todo processo

Segundo a Saab, mais de 350 brasileiros, entre engenheiros e técnicos, participam ativamente do programa de transferência de tecnologia, incluindo temporadas na Suécia para receber treinamento. Além disso, em 2016, o Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen foi inaugurado junto à unidade da Embraer de Gavião Peixoto, no interior de São Paulo. No centro, engenheiros brasileiros e suecos trabalham conjuntamente para desenvolver o projeto. A previsão é que, se tudo correr bem, as 36 aeronaves sejam todas entregues até 2024.

Já em São Bernardo do Campo (SP) está sendo montado a fábrica onde serão produzidos partes da aeronave que, posteriormente, terão a sua montagem final na planta de Gavião Peixoto.

Texto ClicNavegantes com informações de
Agência Brasil, FAB e Revista Asas.

Comente Abaixo