Projeto “Presente de Grego” tramita na Câmara de Camboriú

Presente de grego é uma expressão popular usada para representar o recebimento de algum presente ou dádiva que traz prejuízo para quem a recebeu, ao contrário do que era esperado. Esta expressão faz referência ao Cavalo de Tróia, um famoso episódio descrito na Ilíada de Homero, que narra os eventos da Guerra de Tróia.

Um projeto que foi protocolado na Câmara de Vereadores, proposto pelo vereador Fabiano Olegário, é o verdadeiro “Presente de Grego” da política camboriuense. A ideia é ótima e vai de encontro com o que a população sempre pediu, mas só passará a valer a partir de 2025, quando terminar o mandato do prefeito e vereadores.

O projeto é na verdade uma cópia do que já tramitou na Câmara e votaram contra, em 2016, no apagar das luzes da legislatura naquele ano. O projeto prevê que vereadores que assumam cargos no executivo, inclusive como secretários, perdem o mandato no legislativo.

O que mais me impressiona é que o proponente, vereador Fabiano, já assumiu cargo no executivo enquanto era vereador. A atual administração já fez muito disso e faz atualmente. Aparece no projeto como subscrevente TODOS os vereadores da Câmara. E isso causa mais revolta ainda.

NÃO ASSINA

Após eu opinar sobre o assunto em um grupo de Whats, a vereadora Inalda do Carmo entrou em contato comigo para deixar claro que só topou assinar o projeto, se passasse a valer a partir do momento que o projeto virar lei. Segundo a vereadora, se for para valer a partir de 2025, ela e seu grupo não irão assinar o projeto.

Toda legislatura é a mesma coisa. Aparecem os paladinos querendo diminuir número de vereador, querendo mexer na lei orgânica e por ai vai. E não é só em Camboriú.

E A FISCALIZAÇÃO?

O que a Câmara de Camboriú ainda não conseguiu fazer, é fiscalizar o executivo para cumprir a lei orgânica que já existe. Quer um exemplo? Casos de nepotismo que inclusive é objeto de uma ação penal do MP contra o Município.

O parágrafo 8 do art. 18 da Lei Orgânica deixa bem claro que é vedado ao prefeito a nomeação de parentes do prefeito e vice, vereadores, secretários ou presidentes e diretores de autarquias. Será que alguém fiscaliza? Acho que não, afinal, o que mais tem na prefeitura de Camboriú é parente de vereador (e vereadora) nomeado em cargo comissionado. Claro, vereadores da base.

 


Projeto “Presente de Grego” tramita na Câmara de Camboriú
Poucas e Boas – Por Gian Del Sent

Publicidade