Projeto RECICLABC é lançado em Balneário

A prefeitura de Balneário Camboriú lançou oficialmente, nesta sexta-feira (29), o projeto RECICLABC, o qual objetiva aumentar a quantidade de resíduos reciclados que está distante do que poderia ser reaproveitado.

Segundo estimativa da Ambiental Limpeza Urbana e Saneamento Ltda., responsável pela coleta, Balneário Camboriú poderia reciclar mensalmente 2 milhões de quilos de resíduos, mas recicla apenas 150 mil quilos.

O material não reciclado vai para o aterro sanitário, diminuindo o tempo de vida útil daquela unidade que é vital para o saneamento da região.
Embora etapas do projeto já estejam ocorrendo há mais de um mês, esta sexta-feira foi escolhida como referência porque a Secretaria do Meio Ambiente (SEMAM) está de aniversário. A SEMAM foi fundada 30 anos atrás, tornando Balneário Camboriú o primeiro município do Brasil a ter uma secretaria específica para tratar de assuntos ambientais.

PROJETO RECICLABC

Pesquisa em redes sociais mostrou que o principal motivo para a baixa quantidade reciclada em Balneário Camboriú é o desconhecimento. As pessoas simplesmente não sabem como proceder.

Transmitir o como fazer é o principal foco da campanha RECICLABC que envolve as secretarias da Educação, Obras e Meio Ambiente.

Um grupo com quatro monitores da Ambiental Limpeza Urbana e Saneamento Ltda. está percorrendo a cidade para orientar e organizar o recolhimento periódico dos recicláveis.

Até o momento, foram visitados e cadastrados 1.572 edifícios e 1.355 grandes geradores de resíduos (restaurantes, hotéis etc.). A equipe de quatro monitores será ampliada para nove quando iniciarem as visitas de convencimento/orientação que demandam mais tempo e iniciar o trabalho junto às residências. Nas escolas e creches, serão reforçadas as iniciativas já existentes sobre reciclagem e respeito ao meio ambiente.

Os caminhões recolhendo recicláveis, que no passado eram dois, já foram aumentados para quatro e até o fim do ano serão oito.

Enquanto a nova usina de reciclagem, na Várzea do Ranchinho, não fica pronta, o material está sendo distribuído para três cooperativas da região.
O RECICLABC, baseado em experiências bem sucedidas, prevê a separação dos resíduos em apenas três tipos: não recicláveis, recicláveis e vidro. O vidro precisa ser separado para segurança das pessoas que trabalham na cadeia de reciclagem.

Os parceiros do RECICLABC são os moradores porque evitar a poluição, reaproveitar materiais e zelar pelo meio ambiente só é possível com o envolvimento da comunidade em favor de todos.

Serão convidados a trabalhar como multiplicadores do RECICLABC administradores de condomínios, síndicos, estudantes, professores e a sociedade em geral.

Semanalmente, serão veiculados na mídia novos eventos que integram o projeto e os progressos no volume coletado para reciclagem.  Alguns desses eventos terão prêmios de incentivo aos estudantes e comunidade em geral.