Quem aponta o traidor, é quem foi traído

Já dizia Pitty na música “Fracasso”, quem aponta o traidor é quem foi traído. Isso acontece no âmbito dos reles mortais dessa vida maluca. Na política, quem foi traído só aponta o traidor se ele ficou sem benefício algum.

Na ânsia de manter suas boquinhas, a política prefere acatar a frase do saudoso Brizola que diz que “a política odeia o traidor mas ama a traição” (corrigido). Até os paladinos da justiça se calam diante da injustiça alheia, para não se indispor com seus pares.

Câmara 

Muito se falou sobre a eleição da Câmara, sobre traição e traídos. Muitos apontaram os possíveis traidores, foi anunciado que em breve a “verdade” viria a tona, mas até agora nada. Eu continuo aguardando mais um tempinho antes de falar do assunto. Só quem conhece a história inteira, de 2018 para cá, pode analisar com mais imparcialidade e sem amores, o que realmente aconteceu.

Câmara II

Por falar em câmara, vi umas movimentações em nomeações que a princípio me deu um dejavú e tive a impressão de já ter vivido aquilo. Logo em seguida me lembrei daquela marota troca de cargos que Omar fez enquanto presidente do legislativo. Esposa nomeada no gabinete de um deputado, parente do deputado nomeado na Câmara. Essas jogadinhas são espertas, não configura nepotismo e fica tudo certo. Mas acho que não leram a Súmula Vinculante 13 e suas jurisprudências.

Nomeações 

Outra coisa que me chamou atenção é a atual composição do JARI. Lendo o decreto que lista os membros, mais uma vez fui acometido por um dejavú. Aquela impressão de ter visto aqueles nomes em outros lugares. Pimba! Não é que vi um igualzinho na lista de conselheiros da Compur? O mundo é pequeno e temos duas pessoas com o mesmo nome na cidade? Não acredito que seja proposital. (rs)

Traído?

Quem foi destaque nos grupos de Whatts na semana passada foi o Cel. Evaldo Hoffmann, ao ser anunciado o novo comandante da PMRv do Estado. Após pipocar o convite da passagem de comando para o Coronel Marcelo Egídio Costa, Evaldo se manifestou através de um texto no app de mensagens.

Traído? II

Em seu texto, Evaldo solta os cachorros no comando geral da PMSC, dizendo que em 33 anos de serviço nunca foi tão desconsiderado (para não dizer traído). Ele ainda fala que até pensou em ir para a reserva, mas depois dessa não vai mais e permanece em serviço, só não sabe aonde. Nos bastidores me sopraram que “chumbo trocado não dói”. Ui! Mas cadê o bombeiro? Não fala nada?

Já vai?

Um passarinho azul e bico roxo, cantarolou na minha janela que a Secretária de Saúde, Leila Crócomo, pediu o boné da pasta. Leila está a frente da Saúde da cidade desde o dia 10 de julho de 2020 e assumiu após a saída conturbada, e sem explicações convincentes, da competente Andressa Haddad. Se for verdade, quem vai ficar brava é a galera do bolão que cantou a duração de 6 meses e perdem a aposta por 2 dias.

Vacina

Na semana passada, o programa Canal 100 anunciou em primeira mão a intenção de compra das vacinas do Instituto Butantan, pela prefeitura de Balneário Camboriú. O prefeito, que há muito não participava do programa, deu detalhes ao amigo Luiz Carlos Tigrão na sexta-feira (08).

Vacina II

Um amigo leitor me questionou sobre o fato da prefeitura estar querendo comprar, a cifras milionárias, algo que o governo federal vai distribuir gratuitamente. A pergunta me coçou a cabeça, fui atrás da informação e ouvi que “garantir é a palavra”, pois não se sabe como será a distribuição pelo governo federal. Perguntei se dispensa as vacinas que virão do Ministério da Saúde caso a prefeitura compre, ouvi um rápido: “Não dispensa não”. Resumindo, não entendi foi nada.

Decreto

Prefeito de Balneário Camboriú publicou um decreto que proíbe reuniões e comemorações em imóveis particulares com pessoas que não residem no imóvel. Ou seja, só pode família. O decreto também penaliza o dono de imóvel que for alugado por terceiros e vir a acontecer algum aglomero. O dono do imóvel tem que ter bola de cristal ou simplesmente deixa de alugar?

Decreto II

No mesmo decreto, a prefeitura diz que eventos sociais em locais públicos ou privados, devem seguir as diretrizes do estado, estipuladas nas portarias elencadas no texto. Acontece que as portarias do estado não proíbem pessoas que não residem no imóvel de estarem lá socializando. A restrição do estado é relativa a quantos, e não quem, vai estar no evento.

Decreto III

Em resumo, o decreto da prefeitura é desautorizado por ele mesmo no artigo seguinte. Afinal, municípios tem poder de restringir mais do que o estado, mas no momento que ele diz que os eventos e reuniões no município devem seguir portarias estaduais, o artigo anterior não vale para nada. Inclusive a portaria 821, proíbe eventos de qualquer natureza ou lotação, nas regiões em nível gravíssimo, o que anula o decreto municipal de Balneário Camboriú neste momento.

 


 

Quem aponta o traidor, é quem foi traído
Coluna Ácido Úrico – Por Gian Del Sent