R$ 130 milhões é o valor roubado no assalto a banco em Criciúma

A ação criminosa à tesouraria Regional do Banco do Brasil de Criciúma rendeu aos criminosos cerca de R$ 130 milhões em dinheiro vivo.

A informação foi revelada através do depoimento de uma mulher, que faz parte das 16 pessoas presas preventivamente sob acusação de envolvimento na ação, no recurso de habeas corpus interposto junto ao Supremo Tribunal de Justiça.

Anteriormente, a informação que se tinha era de que os criminosos haviam roubado R$ 80 milhões da agência do Banco do Brasil, mas o valor foi muito mais alto.

O  Tribunal de Justiça de Santa Catarina negou o pedido de habeas corpus da acusada de integrar a quadrilha. Foi mantida a decisão da comarca de Criciúma, que indeferiu o pedido de conversão da prisão preventiva da suspeita em prisão domiciliar.

Do total dos envolvidos no assalto, 13 mandados de prisão foram cumpridos e outros três seguem abertos. O número representa, no entanto, apenas metade da quadrilha envolvida no assalto.

O inquérito principal é mantido sob sigilo. A quadrilha pode ficar presa por até 18 anos.

Relembre o caso

O roubo ocorreu entre a noite do dia 30 de novembro e a madrugada de 1° de dezembro de 2020. Cerca de 30 homens fortemente armados cercaram a área central da cidade durante quase duas horas. Foram feitos reféns, o polícia Militar, Jeferson Luiz Esmeraldino, de 32 anos, foi baleado e ficou gravemente ferido. A ação cinematográfica é considerada a maior já registrada em Santa Catarina.

Diarinho