Reajuste na educação de BC. A parte que o sindicato não contou.

© Marcello Casal JrAgência Brasil

Uma decisão judicial obrigou o poder executivo a conceder o aumento de 4,31% de reposição inflacionária aos profissionais de educação de Balneário Camboriú.

O presidente do sindicato, que entrou com processo contra a prefeitura para conquistar a decisão, posou todo prosa para foto com o documento em mãos, fazendo publicação nas redes sociais.

O que o sindicato não contou nas suas publicações, é que eles entraram com processo para conceder o reajuste APENAS para os profissionais de educação SINDICALIZADOS.

Assim o sindicato pediu, assim a justiça concedeu. 

Ou seja, quem não paga contribuição sindical, não receberá o reajuste. O número de sindicalizados é apenas 1/3 do total de professores do município. Não abrangeria nem mesmo os quase 800 temporários (ACT), que não podem ser associados.

Trocando em miúdos, o reajuste cobriria em torno de 24% do total de profissionais de educação do município. A luta do sindicato não foi pela Educação do Município. Foi pelos 580 profissionais da educação que pagam a mensalidade.

Agora, o prefeito vai entrar na justiça para que o aumento seja concedido para TODOS os profissionais que trabalham na educação do município, e não apenas sindicalizados como manda a decisão, acatando o pedido do sindicato.

Isso me faz pensar que toda essa história foi criada apenas para angariar mais sindicalizados, tendo em vista a perda de adesões que o sindicato teve quando a contribuição deixou de ser obrigatória.

É cada coisa

Decisão


Reajuste na educação de BC. A parte que o sindicato não contou.
Poucas e Boas – Por Gian Del Sent