Respeitável Público!!!

As eleições já passaram, as próximas estão longe, mas a campanha permanece ou já começou.

É com essa frase que começo a coluna de hoje com 3 tipos de nojo do que aconteceu nos últimos dias na política balnear. “Respeitável Público!”, não é circo, mas parece. É palanque, é palco, é holofote, são as luzes da ribalta brilhando sobre os que não podem ver um tabladinho que já quer subir para dar seu show.

Turismo

Achei precipitadíssimo o show montado para apresentar os projetos para o turismo da cidade. Não fui, não marquei presença e me recusei a participar do show. Não temos nenhum tipo de esperança de quando tudo isso vai passar e quando realmente poderemos pensar em largar essa sufocante máscara. Mesmo assim preferiram juntar empresários e jornalistas para apresentar projetos e mais projetos. A prioridade agora é outra.

Turismo II

Acredito no potencial do Geninho, sou fã do trabalho dele, mas não acredito nem na metade dos 30 megas do PDF com a relação dos projetos. Tive que parar de ler, para recuperar a respiração, pois me afoguei rindo na parte que fala da união das secretarias. Geninho, espero estar errado, mas rabisca essa parte do projeto, NUNCA funcionou neste governo. Se cobrares demais das outras secretarias, é capaz de tu ir para a frigideira. Exemplos neste governo tem aos montes.

Projetos

Assim como estatuto de partidos, na teoria tudo é muito lindo. Assim como as dezenas de projetos apresentados nos primeiros quatro anos da administração de BC. Projetos lindos mesmo, mas que ficaram por isso mesmo. Lembro em abril de 2017, onde foi apresentado um balanço dos 3 primeiros meses. Tem coisa que até agora não terminou e outras que só aconteceu aquela época. Também foi apresentado novos projetos, que também não aconteceram. Muito projeto, pouca prática.

Projetos II

Geninho esbarra em uma secretaria com poucos realmente dispostos a fazer a coisa acontecer. Uma secretaria sem ações permanentes e sem grandes feitos nos últimos 4 anos. Uma secretaria que deixou para outubro o pedido de captação pela Rouanet e não conseguiu captar nem 10% do esperado. Uma secretaria que até os fogos deixava para última hora e a decoração de Natal do ano passado começou a ser instalada uma semana antes da data festiva. Uma secretaria que deixou vencer o domínio do próprio site.

Sorte 

Mais do que boa vontade, Geninho precisa de sorte. Eu nem vou falar dos cargos. Ele até trouxe algumas pessoas, que devem ficar até o governo precisar daquelas cadeiras para sentar alguém que tenha algum conchavo político, mesmo sem a menor capacidade para tal.

Homem de pouca fé

Me falaram ontem que sou homem de pouca fé. Outra pessoa disse que eu deveria ir na coletiva de imprensa, que o projeto era bom. Respondi que de boas intenções o inferno está cheio e enquanto tiver uma equipe que mal sabe escrever o nome, nada disso vai sair do papel. A maior politicagem sobre isso tudo, eu comprovei quando vazaram o release 1 hora antes para uma pessoa que sequer estava no evento, mas tem audiência estadual. Petrelli não vai gostar hein.

Homem de pouca fé II

A pouca fé é ser realista de não acreditar que coisas como o transporte intermunicipal saia do papel? Faz mais de 2 anos que falam disso, projeto daqui, apresenta projeto de lá, da entrevista aqui e faz foto lá, e tudo continua igual. Mas continuam usando a pauta para se promover politicamente. Ressuscitaram o assunto de novo. E pior, anunciam como se fosse novidade lançada agora.

Memória 

Não foi uma e nem duas. Foram várias pessoas que estiveram no evento com empresários e se mostraram boquiabertas com o fato do prefeito Fabrício Oliveira, em seu discurso, não citar o nome de Júlio Tedesco, que nos deixou na sexta-feira passada. Um evento para falar de turismo, com a morte recente do comandante, e não citar o seu nome? Foi um despautério que ofendeu a muitos.

Memória II

De manhã esqueceu o nome de Júlio, mas depois lembrou quando foi para se atravessar na iniciativa da FACISC, anunciada pela diretora da entidade, Ciça Muller, ainda no sábado,  em propor o nome de Júlio ao Centro de Eventos. Lembrou até de divulgar isso para a imprensa, e teve muitos que publicaram, mas esqueceu de citar quem começou a iniciativa. Cada coisa.

Palanque

Na mesma toada, e que me deu 10 tipos de ânsia, foram outros políticos que propuseram a mesma coisa ao Estado. Vários políticos, de todas as esferas, querem ser “pai da criança” ao sugerir o nome de Júlio para o Centro de Eventos. NOJO! No palanque, está Juliana Pavan, que cobra a abertura do Centro de Eventos, mas esquece que o pai dela tirou foto na inauguração fake, de uma obra inacabada e com anos de atraso.

Só pra avisar: Quem espera assistir um show nacional naquele lugar, esquece tá?

Fazendo acontecer

Enquanto uns preferem as luzes da ribalta, tem gente trabalhando de verdade para fazer o negócio acontecer. Kiko Buerger, consorciado a outras empresas, conquistou a outorga para tocar o Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico de São Paulo. Trabalhando em silêncio, abriu o Oceanic, o Classic Car, a Pizza do Pirata e vem mais coisas por ai. Aprendam com quem faz, sem precisar de holofotes. Parabéns Kiko!

Mistério 

Um evento do Podemos de BC, que só se tornou público depois que acabou, aconteceu no último sábado. Teve filiado que nem estava sabendo. Fofoqueiros de plantão disseram que os celulares foram confiscados para que não vazasse nada durante o evento. Ué, se não tinha aglomero, não estão fazendo coisa errada e estavam todos se comportando, porque o mistério? Igual pedir para os empresários não divulgar nada na segunda de manhã. Nem videozinho. Mas teve live do discurso do anfitrião. Pracabá.


 

Respeitável Público!!!
Coluna Ácido Úrico – Por Gian Del Sent