Santa Catarina tem mais de mil profissionais de saúde afastados durante pandemia

Ao menos 8.265 profissionais de saúde em todo o país estão afastados de suas funções em meio à pandemia do novo coronavírus. Esses funcionários precisaram deixar o trabalho porque apresentaram sintomas da doença ou porque fazem parte de algum grupo de risco.

Santa Catarina contabiliza aproximadamente 1000 casos de profissionais afastados/infectados. O estado não divulga dados precisos, os números levam em consideração as informações publicadas pelos municípios.

Em Joinville, até a última semana, 506 profissionais estavam afastados por fazerem parte de grupos de risco, testarem positivo ou por apresentarem sintomas de contaminação.

Em Balneário Camboriú, a rede tem 30 profissionais afastados por serem do grupo de risco. Outros 31 aguardam resultados de exames e 26 são infectados ativos. Outros 37 profissionais que testaram positivo, já estão recuperados e voltaram ao trabalho.

Na rede estadual, o número passa de 300 em todas as áreas de atuação na saúde. 90 deles foram testados positivos somente nos hospitais regionais de Araranguá e São José.

O levantamento de alguns destes dados foi feito pela reportagem da NSC com consultas a secretarias estaduais e municipais de saúde (no caso das capitais), conselhos de medicina e enfermagem e fundações hospitalares. Os dados foram tabulados até a tarde desta quinta-feira (16).

Conselhos

O Conselho Regional de Enfermagem (Coren) disse que há 24 enfermeiros e técnicos de enfermagem com coronavírus, em quarentena, e 12 internados com sintomas. No total, 254 profissionais estão em isolamento. Não há registros de mortes entre os trabalhadores da área, nem de infectados nem de casos suspeitos.

O Conselho Regional de Medicina (CRM-SC) foi consultado para saber quantos médicos estão afastados, mas a entidade disse que os dados são sigilosos.

Foto: Diorgenes Pandini

Comente Abaixo