Saúde alerta sobre prevenção da hanseníase através da campanha Janeiro Roxo

Conscientizar sobre uma doença infectocontagiosa que pode levar à incapacidade, é o objetivo da campanha Janeiro Roxo. A hanseníase, tratada pelo Departamento de Vigilância Epidemiológica (DVE) de Balneário Camboriú, é uma doença de evolução crônica, causada pela bactéria Mycobacterium leprae.

A doença pode afetar qualquer pessoa e levar à incapacidade permanente. A dermatologista do DVE, Mariah Zimmermann, falou a respeito dos sintomas. “Estar atento ao aparecimento de manchas brancas, avermelhadas ou acastanhadas com alteração de sensibilidade ao calor, frio, dor ou tato. Áreas com diminuição de pelos e suor, formigamentos, dormência, diminuição da força muscular com maior frequência em mãos e pés, nervos espessados, doloridos e caroços pelo corpo são alguns sinais da hanseníase”, destaca.

Se for observado algum dos sintomas deve-se procurar um dermatologista para avaliar o caso, visto que existe um tratamento eficaz para a doença. O tratamento é fornecido gratuitamente nos Centros Especializados ou Unidades de Saúde, e consiste na poliquimioterapia, medicamentos administrados via oral diariamente e com doses supervisionadas mensalmente. O objetivo do tratamento é a cura da doença, a interrupção da transmissão e a prevenção das incapacidades físicas.

A transmissão da hanseníase ocorre quando uma pessoa que não está fazendo um tratamento adequado elimina o bacilo, infectando outras pessoas que possuem maior probabilidade de adoecer. “A transmissão se dá por vias de saliva superiores, eliminadas na fala, tosse ou espirro, por doentes multibacilares que não estejam em tratamento. É importante salientar, que mais de 90% das pessoas são resistentes ao bacilo, ou seja, podem ser infectadas, mas não adoecem e é preciso um contato íntimo e prolongado com o doente”, explica a Dra. Mariah.

Campanhas como Janeiro Roxo são essenciais para instruir a população sobre uma doença negligenciada. O Brasil ocupa, hoje, a segunda posição em registro de novos casos no mundo, já no município de Balneário Camboriú existem apenas dois casos ativos e três reações hansênicas do tipo dois. Todos em acompanhamento.

O Departamento de Vigilância Epidemiológica (DVE) de Balneário Camboriú fica localizado na Rua 916, n° 535.

Publicidade