Saúde faz alerta sobre combate ao Aedes aegypti

No último fim de semana, a Secretaria de Saúde de Balneário Camboriú convocou o Departamento de Vigilância Ambiental e diretores da Divisão de Saúde e Especializada para uma reunião sobre estratégias de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, febre amarela, zika vírus e chikungunya. Além dessa, outra reunião foi feita na semana passada pela Sala de Situação, com o intuito de reunir representantes de várias secretarias e departamentos, conscientizando sobre os riscos de se manter água parada em recipientes à luz do dia.

“A atenção da população é de suma importância. Atos simples como não deixar nenhum recipiente com água parada, deixar calhas limpas e niveladas, caixas de água tampadas e vedadas, ralos que acumulam água teclados com tela mosqueteiro e piscinas limpas e tratadas com cloro fazem a diferença para a prevenção da transmissão dessas doenças”, pontua o diretor de Vigilância Ambiental do município, Rafael Neis da Silva.

Até o dia 17 de abril, foram contabilizados mais de 700 focos de larvas do mosquito por meio das visitas e inspeções realizadas pelos Agentes de Combate à Dengue. Neste ano, foram confirmados três casos autóctones de dengue, oito casos suspeitos de zika vírus e outros 54 casos suspeitos de chikungunya. As larvas se proliferam com mais facilidade em ambientes mais quentes e úmidos, porém, mesmo nas estações mais frias, a população deve estar atenta aos sinais do mosquito.

Febre Amarela

A Campanha Estadual de Mobilização Contra a Febre Amarela terminou no sábado (20). Apesar do fim da campanha, as vacinações continuarão disponíveis, já que a imunização faz parte do calendário vacinal do Sistema Único de Saúde (SUS). As doses estão presentes em todas as unidades de saúde do município, sendo que as Unidades de Saúde Ariribá, Nações, Vila Real e Barra ministram as doses até as 21h30.

A mobilização ocorreu após a confirmação da primeira morte humana no estado desde 1966, na cidade de Joinville, por conta da doença. No dia 04 de abril, um macaco também morreu em decorrência da patologia, no município de Garuva. Em 2018, o estado inteiro passou a ser Área com Recomendação de Vacina (ACRV).

“É importante ressaltar que os macacos não transmitem a febre amarela. Os primatas são o que chamamos de sentinelas, pois por estarem mais próximos de onde os mosquitos do ciclo silvestre vivem, nos avisam de uma possível circulação do vírus quando começam a ser encontrados mortos ou doentes e, por isso, são tão vítimas dessa doença quanto os seres humanos”, ressalta a médica veterinária do Município, Fabiana Ribeiro Barreiro.

Para ter acesso a mais informações sobre a vacinação contra a febre amarela, acesse o link: http://www.dive.sc.gov.br/febre-amarela/

Caso tenha conhecimento de algum foco suspeito de Aedes aegypti, entre em contato com a Ouvidoria Municipal pelos números 0800 644 3388, (47) 3267-7024 ou pelo Whatsapp (47) 9 9982-1979. Para solicitação de visitas dos Agentes de Combate à Dengue, ligue para (47) 3261-6264.

Comente Abaixo