SE SUPERAM: Prefeitura de Camboriú gasta R$ 148 mil em sistema para encontrar buracos nas ruas

Nada é tão ruim que não possa piorar.

A piada da semana em Camboriú, depois dos relógios digitais de quase um milhão de reais e dos chafarizes para praças que nem existem ainda, o assunto desta quinta-feira (14) está sendo a locação de um sistema com câmeras para encontrar buracos nas ruas.

Não, parece zoeira, mas não é.
Além de buracos, o sistema que tem uma câmera acoplada em um veículo que identifica rachaduras no asfalto e bocas de logo irregulares. A brincadeira custará aos cofres públicos nada menos que R$ 148.335,00 para apenas seis meses de serviço. (R$24.722,50 por mês)

Embora a prefeitura tenha usado um monte de palavras bonitas para justificar a “alta tecnologia” contratada, o sistema nada mais faz do que encontrar problemas na pavimentação das vias e gerar um relatório para a secretaria de obras. Coisa que poderia ser facilmente executada por um servidor com uma moto e uma prancheta.

Que mais? A compra foi realizada com dispensa de licitação. Sim, a compra foi direta, baseada no art 25 da lei de licitações, que serve para casos onde não existe concorrência. O que não sei se é o caso da contratada Mapzer Inteligência Artificial, será que apresentaram a patente exclusiva da ideia no processo licitatório ou foram no embalo de Balneário Piçarras que também contratou essa bobagem (por 10mil a menos por mês)?

Olha que por causa dos Totens em BC teve secretário e prefeito com bens bloqueados. Só se safaram porque a empresa comprovou ser a única detentora da tecnologia no país.

Confira abaixo a postagem da prefeitura


Coluna Poucas e Boas – Por Gian Del Sent 

Publicidade