Secretaria de Saúde de Balneário Camboriú emite nota sobre matéria veiculada no jornal Diarinho.

Respondendo á matéria publicada no Jornal Diarinho de ontem (21), a Prefeitura de Balneário Camboriú, através da Secretaria de Saúde, emitiu uma nota oficial esclarecendo os fatos relatados pelo jornal em seu site.

Segue a nota na íntegra.

——

“O hospital Municipal Ruth Cardoso, em resposta a matéria de cunho jornalística veiculada no DIARINHO em 21/03/17, informa que são inverídicas as informações de falta de assistência médica hospitalar aos irmãos Júlio e Juliano Zanini, após sofrerem um acidente, ambos com fraturas de gravidade.
Em relação ao paciente Júlio Cesar Zanini o mesmo teve fratura de acetábulo, necessitando de procedimento cirúrgico de alta complexidade, sendo que a referência para esses procedimentos é o Hospital Marieta, localizado na cidade de Itajaí.
Importante destacar que, o paciente aguardou por vaga no hospital Marieta estando, devidamente, internado e recebendo toda assistência que o caso exigia. Reforçamos a compreensão de que o hospital Municipal Ruth Cardoso não é habilitado pelo SUS para situações de Alta Complexidade.
Assim, o tempo de espera computado ao paciente Julio Cesar Zanini diz respeito ao fluxo de regulação (SISREG) para uma vaga no hospital Marieta. Além disso, o paciente foi transferido após sete dias de espera por uma vaga em unidade de Alta Complexidade. Tempo que independeu de ação do hospital Ruth Cardoso, porque após a inclusão do nome do paciente no SISREG a transferência fica na dependência de existência de vaga em unidade que possa realizar o tratamento, no caso, alta complexidade.
No que se refere ao paciente Juliano Zanini, o mesmo teve duas fraturas, de radio e ulna (braço) e exposta no pé. Entretanto, o tempo de espera para a realização do procedimento em nada condiz com o que fora informado na reportagem.
Assim, vale esclarecer que o hospital Municipal Ruth Cardoso tem estrutura e encontra-se habilitado para os dois procedimentos exigidos em relação ao paciente Juliano. Entretanto, o paciente não reunia condições clínicas para a realização da cirurgia, pois o manejo de fraturas expostas depende das condições da pele do paciente. Sendo que, no caso em questão, a pele necessitava de estabilização clínica para que a cirurgia fosse realizada e obtivesse sucesso. Portanto, não é verdadeira a informação de que o paciente aguardou pelo procedimento em virtude de mau atendimento.
Ainda, existe a referência na matéria que os pacientes ficaram sem alimentação no período noturno do dia 14 de março. Consultado os registros do Setor de Nutrição encontra-se no mapa a execução em todos os leitos, inclusive, dos pacientes Júlio e Juliano. Além disso, os nomes dos dois pacientes estão relacionados em todos os mapas do dia 14, incluindo na “ceia” – refeição após a janta.
Por derradeiro, o atendimento inicial dos pacientes se deu de forma imediata quando de suas entradas pelo pronto-socorro, porque a entrada está registrada às 22h47 e às 23h se tem lançada a avaliação inicial de cada caso. Inclusive com atendimento acompanhado de especialista (ortopedista). Há ainda, no caso do paciente Júlio Cesar Zanini, informação de contato telefônico feito ao hospital Marieta no objetivo de transferência imediata. Ações e procedimentos adotados sem qualquer demora.
Apenas para complementar as informações aqui colacionadas, informamos que vários setores dessa unidade hospitalar receberam elogios advindos dos pacientes e seus familiares, como bem expôs o diretor de enfermagem Ricardo Brodersen: “no dia 17 de março estive no leito do paciente Julio Cesar Zanini, na companhia do coordenador do Núcleo Interno de Regulação, Rafael Augusto Rodrigues, no ato da realização da transferência do mesmo para o hospital Marieta, onde sua cirurgia de alta complexidade seria realizada. Nesse momento, não recebemos qualquer reclamação vinda do paciente ou de sua mãe que era a acompanhante hospitalar. Ao contrário disso, recebemos votos de agradecimento”.

Ass: Mirian Késia Labs de Lima – Diretora Adm./Financeiro do HMRC
(Transcrito Ipsis Litteris)