Servidora da justiça de Itajaí é assassinada. Namorado é suspeito e fugiu da cidade

A servidora Indira Mihara Felski Krieger, 35 anos, técnica judiciária lotada no fórum de Itajaí, foi encontrada morta em seu apartamento na noite de sábado.

Indira tinha marcado um encontro com a irmã, a juíza Anuska Felski, mas não apareceu. A família ficou preocupada e passou a procurá-la pelo celular.

Só que o namorado atendia as ligações e sempre dava uma desculpa por Indira não atender ao celular. Parentes foram até o prédio onde a moça morava, rua Júlio Willerding, no bairro Fazenda, e, olhando pelas câmeras de monitoramento, viram que ela não havia deixado o local.

A porta foi arrombada e Indira foi encontrada sem vida por volta das 22h de sábado. A causa da morte teria sido asfixia. Ela estava deitada na cama.

O namorado, que deixou o apartamento no início da madrugada de sábado, é o principal suspeito do crime. Ele saiu do apê levando o carro de Indira, um Ford Ka, que foi encontrado na tarde deste domingo abandonado em Balneário Camboriú. Ele é considerado foragido.

A polícia Militar chegou ir até a casa dos pais do namorado de Indira, no bairro Jardim Iate Clube, mas eles informaram que não sabiam sobre o paradeiro do filho. O crime está sendo investigado pela polícia Civil. O Tribunal de Justiça lamentou a morte de Indira através de uma nota de pesar. O velório ocorre no cemitério Fazenda de Itajaí. O sepultamento será no mesmo local, neste domingo, às 16h.

FORAGIDO

Na tarde deste domingo, a justiça de Itajaí determinou a prisão temporária do principal suspeito de ter assassinado de Indira. L. T., que era namorado da vítima, é considerado foragido.

O carro foi encontrado na tarde deste domingo estacionado no motel Tu Ki Sabes, em Balneário Camboriú. O suspeito não foi localizado. O carro foi apreendido e levado pra DIC de Balneário.

Fonte: Diarinho