Site russo exibe imagens de câmeras de segurança do mundo todo

Pessoas que aparecem nas imagens não têm a menor ideia disso. Governo britânico pediu que autoridades russas fechem imediatamente o site.

O governo britânico pediu que autoridades russas fechem imediatamente um site que está expondo a vida de milhares de empresas e pessoas do mundo, inclusive do Brasil.

É um “Big Brother” mundial: qualquer pessoa pode ver na internet o que acontece em uma casa nos Estados Unidos; no quarto de um bebê na Grã-Bretanha; em uma loja no Rio de Janeiro; e em uma empresa em Porto Alegre. E as pessoas que aparecem nas imagens não têm a menor ideia disso. Ao acessar câmeras em mais de cem países, o site russo mostrou como é fácil invadir a privacidade.

É comum uma câmera de segurança de olho em todos os movimentos. Em quase todo lugar, somos monitorados. O administrador do site russo disse que botou as imagens na internet com uma boa intenção: alertar as pessoas dos riscos que correm. Quem não toma cuidado pode ser visto pelo mundo inteiro.

Os Estados Unidos têm o maior número de câmeras invadidas: mais de 4 mil. No Brasil, são 291. Câmeras como a que um pai usa para ver o filho, pela internet, quando está no trabalho. “É tranquilizador, mas temos que pensar na segurança”, diz ele.

É o que muita gente não faz. As câmeras vêm com uma senha padrão de fábrica, muito simples, tipo 1234. Os fabricantes recomendam a troca da senha por uma mais complexa. O russo que invadiu os computadores usou a senha padrão para acessar as câmeras de quem não fez essa mudança.

“É assustador”, disse o representante do serviço britânico de proteção de dados. Apesar da suposta boa intenção por trás do site, ele pediu às autoridades russas para tirá-lo do ar.

Fonte: Jornal Nacional

Comente Abaixo