Tomar banho todos os dias pode aumentar infecções, dizem especialistas

Imagem de tookapic por Pixabay

Quantos banhos você toma por dia/semana? A lavagem excessiva do corpo pode reduzir a hidratação da pele, o que a deixa seca e permite a entrada de germes, segundo a especialista em doenças infecciosas Dra Elaine Larson, da Universidade de Columbia, em entrevista ao Daily Mail.

Além disso, o Dr. C. Brandon Mitchell, professor assistente de dermatologia na Universidade George Washington, explicou, ao portal de notícias, que o banho remove óleos naturais que contém bactérias “boas”, importantes para o sistema imunológico.

De acordo com ele, um ou dois banhos por semana seriam o suficiente: “Banhos diários não são necessários”, acrescenta. O jornal reforça que tais medidas variam de acordo com as características corporais de cada indivíduo.

Dr. Mitchel falou à TIME que o corpo é uma máquina natural de boa oleosidade e que a maioria das pessoas exageram na quantidade de banhos.

Ele sugere que as pessoas só tomem banhos se sentirem a pele saudável e hidratada, e que não encham o corpo de sabonete, apenas em áreas com cheiros, como os pés e as axilas.

O doutor também orienta que pessoas com cabelos secos os lavem com intervalos de algumas semanas, e que as com problemas no couro cabeludo, como caspa, lavem-no algumas vezes por semana.

Para prevenir doenças, ele indica a lavagem frequente das mãos e das roupas, as quais acumulam células mortas da pele.

Estudo com moradores da Amazônia

Em janeiro, uma pesquisa da Universidade de Utah foi publicada sobre o impacto dos banhos nos micróbios saudáveis existentes no corpo humano.

Pesquisadores analisaram indivíduos de uma vila remota da Amazônia, e concluíram que suas peles têm “a maior diversidade de bactérias e funções genéticas já identificadas em humanos.”

Assim, concluíram que a população urbana do Ocidente é “limpa demais”, o que prejudica as populações de micróbios da pele.

Higiene de computadores

O Daily Mail também traz outro estudo, da Dra. Lisa Ackerley, expert em higiene e professora da Universidade de Saltford. Segundo ela, trabalhadores que passam o dia usando o computador têm contato com 100 milhões de bactérias por dia.

Assim, condições não higiênicas de quem trabalha com o teclado e o mouse diariamente possuem 400 mais bactérias do que um vaso sanitário comum.

Ela afirma que esses micróbios nos itens de trabalho são “contribuidores chave” para a morte de 131 milhões de trabalhadores por ano no Reino Unido e mais no resto do mundo, por doenças incluindo gripes e febre.

Além disso, bactérias e vírus podem se multiplicar em superfícies sólidas, mantendo-se contagiosas por 24h. Por isso, a doutora alerta para que as pessoas higienizem seus celulares e computadores diariamente.

Correio Braziliense