UTI do Centro COVID de BC está com 93% de ocupação

Na noite desta quarta-feira, 24, a ocupação do Centro COVID de BC atingiu 93% de ocupação. Dos 30 leitos disponíveis, 28 estão ocupados.

Dos 28 internados, apenas 9 são de Balneário Camboriú, os outros 19 são de outros municípios da região e até de outros estados. Até o momento, o Governo do Estado não se manifestou sobre a ampliação de ofertas de leitos para atender a região.

INICIATIVAS

Até o momento, há pouco ou nenhum um movimento de municípios da AMFRI que não tem UTI para COVID (e nem outros tipos de UTI). Eles realizam o atendimento nas suas bases e enviam para a regulação se virar em providenciar leitos. Leitos estes que são custeados pelo SUS.

Na mesma toada, os mesmos municípios não se posicionam sobre restrições e a fiscalização é falha ou inexistente. Os municípios de Itajaí e Balneário Camboriú estão com a corda no pescoço, enquanto gestores dos demais municípios da AMFRI estão batendo foto em reuniões virtuais que não tem adiantado para nada.

Todos municípios receberam verba do socorro emergencial contra COVID do Governo Federal, mesmo sem estrutura hospitalar ou de UTI. Só na AMFRI, foram mais de 88 milhões de reais aos 11 municípios. Como é o caso de Camboriú que recebeu mais de R$10 milhões. Camboriú tem respirador e monitor alugado/próprio, que nunca usou e nem pode usar, pois não tem leito de UTI.

Não houve um real movimento para a criação de um consórcio, ou qualquer coisa parecida, para ampliar a oferta em Itajaí e Balneário Camboriú, onde esse dinheiro do Governo Federal poderia ser aplicado. Alguma coisa sobre aluguel de respirador e olhe lá.

Os municípios da AMFRI simplesmente mandam pacientes para a regulação e o Estado que se vire.

E o Estado? O governador continua fazendo cara de paisagem.