Vereadora de Bombinhas denuncia conivência da prefeitura com crimes ambientais

A vereadora Isabela Camile, de Bombinhas, publicou um texto em suas redes sociais no dia 15 de janeiro, onde denuncia a conivência da prefeitura municipal frente aos crimes ambientais cometidos na cidade pela concessionária Águas de Bombinhas, do grupo AEGEA.

Na denúncia ela ainda cita a ARESC, agência reguladora do Estado de Santa Catarina no que diz respeito a serviços públicos, que autuou a concessionária duas vezes em 2020 por despejo irregular de esgoto no Rio da Barra, mas só publicou uma das autuações no último dia 12 de janeiro.

A coleta que comprovou a poluição em 2020, foi feita um dia antes da concessionária assinar um TAC junto ao Ministério Público por um inquérito aberto em 2015, pelo mesmo motivo.

A vereadora ainda acusa a prefeitura de conivência pois a administração pública sabia dos acontecimentos e não tomou atitudes contra a concessionária. Ela alega que o prefeito hoje faz duras críticas à concessionária ameaçando romper o contrato, mas não o fez quando teve oportunidades anteriores.

O prefeito também teria aprovado um novo plano de saneamento, postergando por mais alguns anos o prazo para que a concessionária realize obras para coleta e tratamento do esgoto na cidade.

Confira o relato completo da vereadora Isabela Camile

A conivência entre o Executivo e a empresa Águas de Bombinhas é bem maior do que a gente vê a diariamente, porque existem coisas que a gente simplesmente não vê, ou não sabe, como o fato que continuação vou relatar…

No mês de agosto de 2020 a empresa Águas de Bombinhas foi atuada pela Aresc (Agencia Reguladora), pela segunda vez, por despejar esgoto no Rio da Barra (Bombas)  A primeira vez foi ano de 2016.
As amostras que provam o despejo irregular de esgoto foram recolhidas no dia 21 de janeiro de 2020, um dia antes apenas que a empresa Águas de Bombinhas assinasse um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) pelo lançamento de esgoto que tinha efetuado a primeira vez.
As duas vezes que a Águas de Bombinhas foi fiscalizada, foi detectado lançamento irregular de esgoto no rio, as duas vezes durante a temporada, evidente é uma conduta recorrente da empresa.
O Prefeito Paulo Henrique Dalago Muller foi informado oficialmente da atuação no dia 13 de agosto de 2020, mas assim como a primeira vez, o Prefeito não tomou nenhuma medida. A empresa Águas de Bombinhas não foi multada, nem atuada pela Prefeitura, NADA MESMO… O Prefeito mais uma vez encobria um crime ambiental praticado pela empresa no município.
Mas a maquiagem continuava a toda máquina, o prefeito saía pelas ruas encabeçando a operação Língua Negra, mas nunca procurando despejo irregular de esgoto onde sabia que existia.
Para agosto de 2020, quando a Águas de Bombinhas foi atuada pela segunda vez, a mesma, conforme contrato de concessão, deveria estar tratando mais do 70% do esgoto da cidade numa nova ETE (Estação de Tratamento de Esgoto), mas continuava usando a velha ETE e despejando esgoto no rio. Mesmo sabendo do incumprimento contratual da concessionária, o Prefeito nunca notificou ela nem por nenhum dos lançamentos irregulares verificados pela Aresc, nem pela falta de tratamento de esgoto.
Sabendo da real situação, que a empresa mal tratava o pouco esgoto que recolhia e contaminava impunemente o Rio da Barra, há poucos meses o Prefeito envia um novo PMSB (Plano Municipal de Saneamento Básico) à Câmara de Vereadores protelando as obras de esgotamento sanitário assim como as de água. Isso é, sabendo do que acontece, o Prefeito optou porque siga acontecendo, e por muitos anos ainda…
TODOS os sete vereadores da base do governo aprovaram a lei que hoje protela TODAS as obras da empresa no município.
Quando vemos hoje o Prefeito se fazer de bravo com a empresa Águas de Bombinhas pela falta de água no município, e ameaçar com a quebra de contrato, e notificações judiciais, etc, etc… Devemos nos perguntar se isso é real, ou um acting para inglês ver, mais uma maquiagem para enganar o povo e fazer de conta que está do lado dele.
Porque agora notificar a empresa quando já teve a oportunidade de fazer isso duas vezes e não fez?
Eu respondo, porque isso foi ocultado dos bombinenses!!!!
Porque agora ameaçar nas redes dizendo que vai estudar a quebra do contrato com a empresa, se já teve razões mais que suficiente para fazer isso há anos?
Mais uma vez respondo, porque ninguém ficou sabendo, porque o Prefeito sempre acobertou a empresa, e porque hoje não tem como esconder dos bombinenses os abusos da empresa contra o povo.
Observação: Estou contando esta história hoje porque essa informação foi publicada só no dia 12 de janeiro, sim, há poucos dias, pela agência reguladora no site da mesma.
Perguntamos então a Aresc, por que escondeu essa informação dos bombinenses durante tanto tempo?
Publicidade