Vereadora se manifesta sobre investigação da PF por compra de votos

Uma mensagem de uma pessoa que se apresenta como sendo da assessoria jurídica da vereadora Andreia de Souza Machado, se manifestou através de um grupo de WhatsApp na manhã desta terça-feira (26), sobre a investigação da Polícia Federal sobre a possível compra de votos na eleição de 2020.

A reportagem do Portal Visse solicitou que a mesma enviasse a nota por email e segue na íntegra abaixo. O texto vem assinado pela Cruspiere Advocacia, que se apresenta também como assessoria jurídica da parlamentar.

“A assessoria da vereadora Andréia Souza – Andréia do Pedro Paulo, vem por meio desta nota oficial informar que tomou conhecimento de que houve uma denúncia INFUNDADA com o intuito de lhe prejudicar e denegrir sua imagem. 
Informamos também, que sua assessoria jurídica já está tomando as necessárias providências e as devidas respostas ao judiciário.
Que acreditamos seriamente na Justiça, e que reafirmamos que não houve qualquer tipo de ilícito eleitoral, e que mantém com total transparência sua conduta enquanto parlamentar, e está a disposição da comunidade para quaisquer eventuais dúvidas.
Além do mais ressalta que inclusive suas Contas Eleitorais JÁ FORAM aprovadas conforme SENTENÇA da Justiça Eleitoral.”

ENTENDA O CASO 

A vereadora Andreia de Souza Machado (MDB), a “Andreia do Pedro Paulo”, de Camboriú, está sendo investigada pela Polícia Federal por indícios de compra de votos na eleição de 2020. A reportagem do Portal Visse teve acesso a todo conteúdo da denúncia.

A vereadora, que é ex-secretária de assistência social do município, teria comprado votos através de “vale-gasolina”. Na denúncia, apresentada ao Ministério Público pela Polícia Militar de Camboriú, aparecem ainda outras pessoas que trabalhariam para Andreia na captação de votos de maneira criminosa. Caso aconteceu em outubro de 2020.

O Ministério Público, com a denúncia e demais provas em mãos, solicitou a Justiça Eleitoral a abertura de uma investigação policial eleitoral para apurar os fatos. A decisão de acatar o pedido do MPSC e encaminhar a investigação a Polícia Federal é do juiz eleitoral Claudio Barbosa Fontes Filho, da 103ª Zona Eleitoral de Balneário Camboriú.

No conteúdo da denúncia, que não será publicada pelo portal para não atrapalhar nas investigações, há prints e áudios através do aplicativo do Whatsapp, onde um dos envolvidos fala que vai informar o local onde será distribuída a gasolina e manda o santinho da então candidata, Andreia, para orientar o voto do eleitor. Em outra mensagem, um envolvido diz que “já começou a dar gasolina”.

A Polícia Federal tem 90 dias, contados a partir do dia 15 de janeiro de 2021, para concluir as investigações e dar maiores detalhes a Justiça.

A reportagem tentou contato com a assessoria da vereadora, mas sem sucesso. O espaço segue aberto para considerações.