Vigilância Sanitária de Camboriú recolhe alimentos estragados em fiscalização nos Gideões

Nesta terça-feira, dia 25, profissionais da Vigilância Sanitária de Camboriú, que atuam na fiscalização do comércio temporário montado em virtude do 35º Congresso Internacional de Missões, realizaram um recolhimento de alimentos impróprios para consumo. O ônibus com placa do Paraná estava em situação irregular e o proprietário não tinha o curso de manipulação de alimentos e nem alvará para atuar na cidade. Além disso, foram encontradas cocadas estragadas no interior do veículo.

Os fiscais fizeram o recolhimento dos produtos, o proprietário foi autuado e não pode mais vender na cidade. A diretora da Vigilância Sanitária de Camboriú, Josiane Farias, conta como foi a abordagem. “Quando chegamos até o local era visível que o ônibus estava em péssimas condições. No interior do veículo, as condições de higiene eram precárias, as mercadorias não estavam armazenadas de maneira correta, tinha moscas, muita sujeira, produtos já estragados, sem nenhuma condição de comercializar”, completa.



Josiane explica que esse foi o único recolhimento de alimentos até momento. “A maioria dos locais já fiscalizados está regularizado e atendendo às exigências da vigilância. Vejo que o trabalho preventivo foi bem sucedido, os comerciantes estão bem conscientes”. A diretora reforça que a comunidade pode colaborar e fazer denúncias, inclusive anônimas, caso suspeitar de algo irregular na venda de alimentos.

Como denunciar

Para denunciar é só ligar para a Secretaria de Saúde (3365 9400) e fazer o registro com o departamento da Vigilância Sanitária. Também é possível fazer a denúncia diretamente para um dos fiscais que estão circulando pelo centro da cidade – eles estão identificados com colete laranja.

O secretário de Saúde, Ronnye Peterson dos Santos, entende que a fiscalização é imprescindível para assegurar a segurança de visitantes, moradores e trabalhadores durante eventos desse porte. “Estamos oferecendo gratuitamente o curso de manipulação de alimentos desde o início de abril para ajudar os profissionais a atuarem de maneira correta e apropriada. A fiscalização vai passar em todos os comércios de alimentos e cobrar que estejam regularizados”, destaca.

Fiscalização também de trânsito e alvarás

Cerca de 50 fiscais de diferentes setores da Prefeitura estão envolvidos no trabalho para garantir a segurança e saúde pública dos munícipes e visitantes que participam do Congresso dos Gideões.  A equipe é formada por funcionários de diferentes setores que fiscalizam a situação dos alvarás, trânsito, vigilância sanitária, entre outros.  Os funcionários se revezam em três turnos e permanecem nas ruas até o encerramento do comércio.

O funcionário do Departamento Municipal de Trânsito, Tiago Hinckel, é um dos fiscais de trânsito. Ele conta que quando recebeu a denúncia sobre o ônibus logo acionou a Vigilância para juntos realizar a fiscalização. “Estamos cuidando desta parte da mobilização urbana, verificando os veículos que estão estacionados em locais proibidos e ajudando na apuração e abordagem das denúncias junto com os fiscais de outros setores, é um trabalho em equipe”, explica.

Comente Abaixo
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.