Avião de construtora de Itapema é detido vindo da Argentina com meio milhão de dólares

Cerca de meio milhão de dólares americanos foram encontrados nesta quinta-feira (14) escondidos em um avião de pequeno porte, pertencente a Construtora R.E.I., de Itapema, durante uma operação de controle aduaneiro e que foi feita em conjunto com a Polícia de Segurança Aeroportuária Argentina(PSA) no Aeroporto Internacional Cataratas del Iguazú, na província de Misiones.

Leia também: Brasileiros detidos com dólares na Argentina são liberados

A aeronave, que tinha como destino a cidade de Itapema, transportava dois pilotos e um passageiro, todos de nacionalidade brasileira, e todos os três foram presos pela Justiça Federal da Argentina.

De acordo com fontes oficiais do Portal de notícias argentino Infobae, a moeda estrangeira estava escondida no corpo de um dos pilotos e nos assentos da aeronave.

“A investigação profunda foi feita porque os agentes alfandegários do Iguaçu detectaram que uma parte do painel do cockpit estava mal montada, como uma parte que não coincidiu e, portanto, fizeram uma revisão mais intensiva do avião”, esclareceram as fontes consultadas.

O avião particular que estava contrabandeando cerca de US$ 500.000

Tudo aconteceu nesta quinta-feira (14), quando operadores do Aeroporto Internacional das Cataratas do Iguaçu vistoriaram uma aeronave que saia de Misiones e tinha destino final era Itapema, no Brasil.

Quando a vistoria dos pilotos e do passageiro começou, os agentes da Alfândega e da PSA encontraram o dinheiro, não apenas escondido no corpo de um dos membros da tripulação, mas também no encosto e na parte inferior dos assentos da aeronave.

“Até agora, 490.000 dólares americanos são contados e continuam com as requisições, encontrando também valores reais a serem determinados”, explicaram as fontes consultadas por este meio. Três foram presos e estão a disposição da justiça argentina.

Os dois pilotos presos têm 46 e 33 anos e moram em Itapema. De acordo com fontes, o passageiro é advogado da construtora, identificado como A.F.R., de 39 anos, e é de Balneário Camboriú.

 

Publicidade