Brasileiros detidos com dólares na Argentina são liberados

Agentes alfandegários verificam o monomotor Pegasus no aeroporto de Cataratas: encontraram quase meio milhão de dólares e 5.000 reais.

Os dois pilotos e o empresário brasileiro retidos no aeroporto de Cataratas com quase meio milhão de dólares e 5.000 reais não declarados e escondidos em um avião particular, foram liberados e puderam retornar ao seu país. Eles devem comparecer para inquérito na Justiça Federal de Eldorado em 26 de julho.

O juiz federal de Oberá, Alejandro Gallandat Luzuriaga, decidiu não prendê-los porque não têm antecedentes criminais e não podem atrapalhar a investigação. O magistrado também ordenou a apreensão do avião e do dinheiro , bem como dos celulares, que serão submetidos à perícia para tentar encontrar vestígios da origem dos dólares.

A investigação foi desencadeada na quinta-feira (14) ao meio-dia quando um avião monomotor Pegasus, com capacidade para nove passageiros, pousou em Puerto Iguazú vindo do aeródromo Apóstoles , pista que recebe pequenos voos desde o fechamento da estação aérea de Posadas para peças de reposição.

A aeronave tinha a inscrição “Rosecon Empreendimentos Imobiliarios” nas laterais e nela viajava Arthur Freitas Rasmussen , que disse fazer parte da empresa que se dedica à construção de apartamentos de luxo na região de Balneário Camboriú e Itapema.

O avião parou para os dois pilotos e o passageiro realizarem os procedimentos de imigração e alfândega antes de retornar ao aeródromo de Porto Belo.

Durante o procedimento, os despachantes aduaneiros constataram a existência de alguns maços de dólares. Ao perguntar aos brasileiros se havia mais dinheiro, eles hesitaram e isso levou os agentes a ordenar uma busca minuciosa .

Os dólares estavam escondidos no cockpit e sob os assentos.
Os dólares estavam escondidos no cockpit e sob os assentos.

O dinheiro estava escondido na cabine dos pilotos Carlos Anderson Romalho e Rafael Durán; e sob os assentos . No total, foram registrados 491.500 dólares e 5.000 reais.

Os três brasileiros foram detidos ​​por agentes da Polícia Aduaneira e de Segurança Aeroportuária (PSA). O passageiro alegou que o dinheiro pertencia a um empresário paraguaio e correspondia ao pagamento inicial de apartamentos que havia adquirido da construtora. O homem disse que os dólares foram entregues a eles em Posadas e que seu trabalho era levá-los para a construtora Itapema.

A origem da moeda encontrada a bordo do monomotor Pegasus está sendo investigada.A origem da moeda encontrada a bordo do monomotor Pegasus está sendo investigada.

No entanto, os investigadores não estão convencidos da versão e suspeitam que os quase 500 mil dólares possam ser de um empresário argentino. É que a cidade paraguaia de Encarnación tem um aeroporto e é inexplicável que tenham corrido o risco de viajar com essa quantia de dinheiro quase 80 quilômetros até a cidade de Apóstoles para embarcar no avião.

Tanto os pilotos como o passageiro foram autuados pelo crime de tentativa de contrabando de divisas agravado pelo número de pessoas, disseram porta-vozes judiciais.

Via Clarin

Publicidade