Bombinhas usa dinheiro da COVID para pagar rescisão do prefeito

Um fato um tanto quanto deprimente chegou ao conhecimento da redação do Portal Visse na manhã desta quinta-feira, dia 18.

A prefeitura de Bombinhas, em dezembro passado, usou verba do Governo Federal destinada aos municípios para combate ao COVID, para pagar parte da rescisão do prefeito Paulo Dalago Muller, o Paulinho.

As informações, que estão disponíveis no Portal da Transparência do Município, são de que em dezembro de 2020, ao findar o mandato de Paulinho, ele recebeu a quantia de R$ 57.734,77 de “acerto”. Deste valor, R$19.234,77 foram pagos com recursos ordinários do caixa da prefeitura e outros R$ 38.500,00 foram pagos com dinheiro repassado pelo Governo Federal.

O dinheiro usado para o pagamento da rescisão, veio dos recursos recebidos através da lei complementar 173/2020, que destina recursos da União aos municípios para ações de combate ao COVID. Em tese, deveria ser usado com gastos relacionados a pandemia.

OUTROS GASTOS

Em pesquisas no Portal da Transparência, mais pagamentos com recursos federais para combate ao COVID foram encontrados, em despesas que nada tem a ver com a pandemia ou sistema de saúde.

Despesas com folha de pagamento do departamento de trânsito da cidade, foram pagos com recursos da LC 173/2020, que deveria ser usado para gastos relacionados a pandemia. Valores referentes só a 2020.

Outros gastos com férias também foram encontrados 

Por três meses, a prefeitura usou os mesmos recursos do COVID, para ajudar a cobrir a folha de pagamento dos estagiários. 


Estes são apenas alguns exemplos do apurado pela reportagem do Portal Visse. Uma pesquisa mais detalhada, com os filtros disponíveis no Portal da Transparência, poderia levar horas.

Ao todo, Bombinhas recebeu mais de 2,4 milhões de reais do Governo Federal para combate ao COVID-19 no município.

Nenhuma das despesas descritas acima estão na transparência específica do COVID, elas estão listadas no painel geral dos gastos da prefeitura de Bombinhas.

Gastos 

Outro fato que chama atenção são os gastos com diária do prefeito de Bombinhas. Só em 2020, em meio a toda pandemia, foram quase 15 mil reais em diárias.

Foram 13 empenhos com valores que variam entre R$375,00 (meia diária) até R$ 2250,00 (3 diárias). As viagens são as mais diversas, maioria delas para Brasília. Valores referentes só a 2020.

Polêmico

Paulinho publicou um vídeo em que diz que não vai respeitar um possível lockdown e ainda chamou os turistas para visitar a cidade. Mesmo sem nenhuma estrutura hospitalar e com 11 pacientes internados em hospitais da região.

Na noite de ontem seus apoiadores distribuíram um vídeo em que o prefeito estava no aeroporto de Brasília, onde ele fala sobre aglomerações e tira onda da situação. É a segunda vez que ele viaja para Brasília só este ano.

Em junho de 2020, Paulinho criticou os prefeitos de Itajaí e Balneário Camboriú,  e o acusou de negligência, por supostamente terem perdido o controle da pandemia. Na ocasião Paulinho disse “Se o prefeito da cidade de vocês não está nem ai o problema é dele”.

Em maio de 2020, o Hospital de Balneário Camboriú atendeu quase 90 pacientes de Bombinhas.

Casos

Hoje o município de Bombinhas, com pouco mais de 19 mil habitantes, tem 33 mortes pela doença e quase 3000 casos confirmados, com uma taxa de letalidade de 1,11%, que é considerada alta.

Dos pacientes de Bombinhas, internados em hospitais da região, 2 estão em UTI e 9 estão em enfermaria. O município não tem nenhum leito de UTI e nem mesmo de enfermaria para atendimento de pacientes de COVID.

O espaço está aberto para justificativas, se houverem.