Caso Luna: Polícia indicia mãe e padrasto por tortura, estupro e feminicídio

Foto: SCC Meio-Dia/Reprodução

A mãe e o padrasto da menina Luna, de 11 anos, agredida até a morte, em Timbó, no Vale do Itajaí, na madrugada de 14 de abril, foram indiciados nesta sexta-feira (10), após a Delegacia de Polícia da Comarca de Timbó apresentar os resultados das investigações ao Ministério Público. Os investigados foram indiciados por feminicídio, estupro de vulnerável e tortura.

Os suspeitos estavam presos desde o dia 14 de abril, e tiveram a prisão temporária renovada, para o andamento das investigações.

Relembre o caso Luna

A menina de 11 anos foi encontrada morta na madrugada de quinta-feira, 14 de abril, no bairro Imigrantes, em Timbó, no Vale do Itajaí. Conforme a Polícia Militar, a mãe e o padrasto chamaram os bombeiros para atendimento da criança e são suspeitos do crime.

Em depoimento, ambos alegaram que ela tinha caído da escada. No entanto, depois, a mãe de Luna informou que a menina tinha um relacionamento afetivo e já havia tido relações sexuais, o que não aceitava. Por isso, agrediu a menina até a morte.

Leia também: Mãe confessa que matou filha de 11 anos a socos e chutes por se tornar sexualmente ativa

Publicidade