Festa Nacional do Pinhão é cancelada em Lages

O prefeito de Lages, na Serra catarinense, Antonio Ceron (PSD) afirmou na manhã desta quarta-feira (15) o cancelamento da Festa Nacional do Pinhão como medida de prevenção e proteção diante da pandemia do novo coronavírus. A decisão foi comunicada durante entrevista ao Bom Dia Santa Catarina. O município tem dez pacientes com Covid-19.

A 32ª edição da festa estava programada para ocorrer do dia 5 a 14 de junho no Parque Conta dinheiro. O evento, que é um dos mais tradicionais do estado, reúne atrações musicais, além de gastronomia típica da região e apresentações culturais. Durante a entrevista, o prefeito não comentou sobre a Sapecada e o Recanto do Pinhão, evento paralelo que ocorre no Centro da cidade.

“É humanamente impossível a realização da festa. Não tem nenhum sentido, nenhum clima e dentro de uma racionalidade, é inviável a festa, que é marca histórica de Lages. Não haverá festa do Pinhão. Até porque tem pouco pinhão, não teremos nem pinhão, nem festa”, disse o prefeito.

De acordo com Ceron, a nota oficial oficializando o cancelamento do evento deve ser publicada ainda nesta semana. Ele destacou ainda que há um processo de licitatório em andamento para escolher a empresa que será responsável pela festa nos próximos anos.

Além do coronavírus, produtores vinham alertando que a quantidade de pinha colhida era menor que em anos anteriores por causa da estiagem.

Em Santa Catarina, por causa da quarentena está proibida, até dia 31 de maio, a realização de eventos e reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado. O estado tem 853 casos confirmados e 28 mortes pela doença.

O chefe do Executivo municipal vem tomando providências emergenciais desde o dia 18 de março, como suspensão de aulas, instalação de um alojamento-dormitório temporário para pessoas em situação de rua; medidas econômicas sobre impostos; instalação do Centro de Triagem Tito Bianchini; distribuição de cestas básicas; e implantação do kit emergencial de alimentação para crianças e alunos do sistema municipal de ensino.

O comércio foi reaberto na segunda-feira seguindo o decreto estadual que estabelece normas de higiene e adoção do distanciamento na movimentação em filas e nos caixas, sem aglomerações. Mais de cinco mil servidores públicos voltaram ao trabalho em regime contínuo na terça-feira (14) com horários diferenciados. A Prefeitura de Lages também é uma das que obrigaram uso de máscaras entre os moradores.

Comente Abaixo