Namorado de servidora do TJSC é indiciado por latrocínio e segue preso

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Itajaí, concluiu o inquérito policial que apurava a morte da servidora do Tribunal de Justiça, Indira Felski ocorrida no começo de janeiro deste ano, em Itajaí.

O namorado da vítima foi indiciado pelo crime de latrocínio, roubo qualificado pela morte, e teve a sua prisão temporária convertida em prisão preventiva pelo Judiciário. O homem segue recluso ao sistema penitenciário à disposição da Justiça.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, a vítima de 35 anos foi morta asfixiada com uma almofada após desentendimento com o seu então companheiro, de 28 anos, na noite de sexta-feira (07/01/2022), no apartamento onde o casal residia. O corpo foi encontrado por familiares um dia após o crime, já na noite de sábado.

O indiciado é dependente de cocaína e se valia recorrentemente de valores da vítima para sustentar seu vício. A discussão entre ambos teria se originado da negativa da vítima em permitir a continuidade de tais atos.

Após a morte, o namorado de Indira roubou o automóvel, a motocicleta, o celular e valores em dinheiro dela. De posse destes, passou dois dias frequentando motéis e empenhando os referidos bens em garantia nesses estabelecimentos para fazer uso de drogas.

Publicidade