Parque onde menino morreu, em Camboriú, não tinha alvará

A Prefeitura de Camboriú informou que o parque onde um menino de 13 anos morreu, no último sábado (9), não tinha alvará de funcionamento. Por meio da assessoria, a prefeitura esclareceu que para montar este tipo de empreendimento, seria necessário ainda um pedido de viabilidade, que também não foi feito.

Bryan Amorim estava com outras crianças brincando no local, que fica no bairro Areias. O tio dele, que estava próximo, soube do acidente ao ser informado que o adolescente havia desmaiado.

Segundo Daniel Martins da Silva, tio de Bryan, os brinquedos estavam montados de forma imprópria, eram velhos e a fiação estava no chão, com água. “Foi negligência”, pontua.

Já o dono do parque disse à PM (Polícia Militar) que o acidente ocorreu no momento em que testava um dos brinquedos, que estava há nove meses parado. Quando as crianças apareceram, ele chegou a pedir para que se afastassem do brinquedo.

Porém, ele contou à polícia que, no momento em que se virou, o adolescente teria encostado no brinquedo e caído no chão. O dono pegou o menino e o afastou do brinquedo, acionando o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

De acordo com a PM, a suspeita é que ele tenha sido eletrocutado, mas isso só será confirmado após análise do IML (Instituto Médico Legal). A Polícia Civil deve investigar o caso.

 

ND Online