Polícia Civil conclui investigações sobre morte de jovem e prende os outros dois investigados pelo crime

Corpo de Amanda Albach foi localizado na praia do Sol nesta sexta-feira (3) – Foto: Divulgação/ND

Na semana passada, a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Laguna, concluiu o inquérito policial sobre a morte da jovem Amanda Albach, de 21 anos, natural de Fazenda Rio Grande (PR), que desapareceu em Laguna, e entendeu que os três investigados pelo crime tiveram participação ativa no homicídio.

Dessa forma, a Polícia Civil representou ao Poder Judiciário de Imbituba pela expedição de três mandados de prisão preventiva, o que foi decretado pelo Poder Judiciário da Comarca local. Na sexta-feira (21), com o apoio da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, os mandados foram cumpridos e os dois investigados que estavam em liberdade foram presos.

Leia também: Jovem desaparecida há 15 dia é encontrada morta. Amigos tem envolvimento no crime

Durante as investigações, foram deflagradas duas operações policiais, “Operação Redenção I e II”. Na primeira fase, três investigados foram presos temporariamente, pelo prazo de 30 dias, com o apoio da Divisão de Homicídios e Pessoas Desaparecidas do município de Canoas (RS). Na segunda fase, o cadáver da vítima foi encontrado, após a confissão de um dos investigados.

Tendo em vista a contribuição prestada por dois investigados e os poucos indícios, até então colhidos sobre suas participações no crime, eles foram colocados em liberdade no curso das investigações. Contudo, ao finalizar o inquérito policial, a Divisão de Investigação Criminal de Laguna encontrou uma série de divergência nos depoimentos prestados, sobretudo quando confrontados com outros elementos de prova realizados após as respectivas liberações.

Assim, ao final do procedimento, a Polícia Civil entendeu que os indícios coletados permitiam concluir que os três investigados, em conjunto, torturaram a vítima para que esta desbloqueasse o seu celular e prestasse esclarecimentos a eles. Além disso, foi constatado que os três mantiveram a vítima em cárcere privado, no período compreendido entre as 11h às 19h do dia 15 de novembro de 2021, que participaram do homicídio qualificado em questão e do crime de ocultação de cadáver.

Publicidade