Sem entregar obras do último financiamento, prefeito de Camboriú quer mais R$ 20 milhões de empréstimo

O prefeito Elcio Kuhnen, de Camboriú, enviou para a Câmara de Vereadores um projeto que autoriza a prefeitura a contratar um financiamento de R$ 20 milhões.

O projeto não especifica para que será usado o dinheiro, nem descrimina onde e em quais projetos serão investidos. Em resumo, o projeto é entregar um cheque em branco para o prefeito, sem nem ao menos discutir as prioridades para a cidade.

O projeto também não tem descriminado qual será o prazo de pagamento e nem quanto será pago de juros pelo empréstimo, não aponta o prazo de carência e nem de onde sairá o dinheiro para pagar o financiamento. É uma autorização para a prefeitura contrair uma dívida milionária ás cegas.

Um documento questionando tudo que falta para tornar o empréstimo mais transparente, foi solicitado pelo vereador John Leonon Teodoro, logo que o projeto chegou na casa legislativa de Camboriú.

Em 2019, outros dois financiamentos foram contraídos pela administração municipal. Um de 14 e outro de 2 milhões de reais, para obras de pavimentação asfáltica nas vésperas das eleições municipais. Agora, no mesmo período que antecede as eleições federais e estaduais, o prefeito usa da mesma artimanha para fazer política com dinheiro público.

Das obras prometidas com os 16 milhões do FINISA, maioria sequer foi finalizada. Maioria delas não contou com infraestrutura básica de drenagem pluvial. Nem a lei Municipal 3189/2019 que veda qualquer obra de pavimentação, seja ela nova ou o chamado “recapeamento”, sem antes executar toda infraestrutura de rede coletora de águas pluviais, coletora de esgoto e de água potável. Esse assunto já foi pauta no Portal Visse no ano passado. 

Prioridades

Diante de todas as carências que temos hoje no município de Camboriú, a prefeitura não elenca prioridades na hora de contrair empréstimos. Pavimentar ruas é interessante sim, mas infraestrutura e mobilidade urbana são fundamentais para o crescimento da cidade.

No texto do projeto diz que pavimentação, recapeamento asfáltico, drenagem e sinalização, são condições indispensáveis de uma economia avançada. Recapeamento? Drenagem? Sinalização? É sério isso?

Como um empresário vai investir em uma cidade que não tem o mínimo de mobilidade e depende de poucos e limitados acessos para entrar e sair da cidade? Economia se faz com infraestrutura, com mobilidade, com investimentos onde se gera emprego e renda. As principais vias da cidade já estão asfaltadas, as prioridades hoje são outras.

Enquanto a Avenida Santa Catarina segue inacabada, comemorando seu 4° Aniversário no último 23 de junho, o prefeito quer recapear e asfaltar ruas.

Votação

Como o prefeito tem a maioria na Câmara, é bem provável que ele vá “tratorar” a votação e aprovar sem que ninguém consiga questionar a situação. Com o “passe-livre” a comunidade não saberá para onde irá esse dinheiro.

Cabe a população intervir e impedir que isso aconteça. Camboriú precisa prosperar em estrutura para os seus quase 90 mil habitantes.

É inadmissível que alguém leve 40 minutos para ir de Balneário Camboriú até Camboriú pela Santa Catarina.

É inadmissível que forme-se filas de 2 quilômetros no Barranco todos os dias de manhã e a noite.

É inadmissível que o morro do encano não seja uma via alternativa decente para vir de Itapema.

É hora da população reagir.


Sem entregar obras do último financiamento, prefeito de Camboriú quer mais R$ 20 milhões de empréstimo
Poucas e Boas – Por Gian Del Sent

Clique para acessar o 20-milhoes.pdf