Camboriú inicia safra do arroz com expectativa de gerar R$ 4,5 milhões para famílias produtoras

Iniciou nos últimos dias o período de safra para os 46 produtores de arroz da área rural de Camboriú. A previsão é de que sejam colhidas 142.500 sacas de 50 kg do grão. Quase 100% da produção do arroz no município provêm da agricultura familiar e, segundo estimativas da Epagri, mais de 900 hectares da área rural camboriuense são ocupados com essas plantações.

Os produtores da cidade recebem apoio técnico da Epagri para contribuir com seu desenvolvimento econômico, ambiental e social. Além disso, a Secretaria de Agricultura presta assistência com maquinário para trabalhos como a preparação do solo e drenagem.



“O cultivo do arroz é tradicional em Camboriú e temos reforçado os trabalhos em parceria com Epagri para contribuir o desenvolvimento sustentável dos produtores, que é fundamental para a cidade”, explica o prefeito de Camboriú, Elcio Rogério Kuhnen.

Queda na cotação

Neste ano, a saca do arroz está estimada em cerca de R$ 32 cada. Se esse preço se mantiver, em 2018 o arroz deve gerar pouco mais de R$ 4,5 milhões para as famílias produtoras de Camboriú. O valor representa uma queda significativa em relação ao ano passado, quando a saca chegou a ser vendida a R$ 46. Mas a expectativa da Epagri é de uma movimentação financeira maior para a próxima safra.

“A cotação do arroz é cíclica. Costumamos ter de 2 a 3 anos com um bom preço, mas agora estamos na fase que nossos economistas chamam de fundo do poço, o que deve melhorar bastante no ano que vem”, explica o extensionista rural da Epagri, Oderlei Márcio Anschau. Entre os problemas que interferem na cotação do preço, está o aumento da importação do produto.

“Além disso, ainda há muito arroz armazenado do ano passado, o que diminui o preço da saca. A colheita também foi menor e temos o agravante de Santa Catarina ser o estado com o preço mais baixo no Brasil”, completa Anschau. A produção de Camboriú é vendida para duas grandes empresas, atualmente: 90% da safra é comprada pela Urbano Agroindustrial e 10% pela cooperativa Cravil.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com