Governo atrasa vacina contra meningite e prejudica imunização de crianças na região

Uma das principais vacinas obrigatórias para crianças está em falta nos postos de saúde. A primeira dose contra a meningite C  deve ser tomada aos três meses, mas os pais não estão encontrando. De acordo com o Ministério da Saúde, houve um problema de fornecimento com o laboratório e isso só será normalizado em agosto.

O morador Rafael Alexandre de Souza tem percorrido todas as unidades de saúde de Itajaí para vacinar a neta de três meses mas não tem encontrado a dose. Sem sucesso, ele terá que procurar o medicamento na rede privada. O custo pode chegar a R$350.



De acordo com o Governo Federal, responsável por enviar as doses aos municípios, o problema afeta todo o país em razão de atrasos na entrega feita pelo laboratório produtor, a Fundação Ezequiel Dias (FUNED).

A escassez foi confirmada pela Diretoria da Vigilância Epidemiológica de Itajaí e Balneário Camboriú. Os municípios tem recebido poucas doses da Secretaria Regional e estas tem acabado rapidamente. Em Camboriú, ja está em falta nas Unidades de Saúde do município a vacina.

A vacina meningocócica C (conjugada) é administrada aos três e aos cinco meses, com reforço aos 12 meses, e faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. Segundo o Ministério da Saúde, a previsão para regularização é até o fim do mês de agosto.
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.