Homem só de cueca tenta agarrar funcionária de Shopping

Um homem foi detido, neste domingo (14), após tentar agarrar uma funcionária de uma loja do Shopping Iguatemi, no Lago Norte, área nobre de Brasília. Segundo relato da vendedora, o cliente – que não falava português – entrou no comércio pedindo para provar algumas roupas.

A jovem atendeu o cliente em inglês. Segundo ela, quando foi entregar as roupas no provador, o homem havia deixado a cortina aberta e estava vestindo apenas camisa e cueca. A vendedora disse que jogou as roupas no cômodo e se afastou.



Minutos depois, ela voltou ao local, e o suspeito tentou agarrá-la e beijá-la. Em depoimento à Polícia Civil, a funcionária contou que empurrou o agressor. Neste momento, ele teria agarrado e apalpado o seio da jovem, que saiu do provador gritando.

A segurança do shopping e a Polícia Militar do Distrito Federal foram acionadas e encaminharam o suspeito à delegacia. De acordo com os agentes, o homem é indiano e tem cidadania belga.

Ele foi preso em flagrante pelo crime de importunação sexual e levado para a carceragem da Polícia Civil. O Iguatemi Brasília disse, por meio de nota, que está colaborando com as autoridades para a apuração do caso.

Pena mais rígida

A lei que tipifica crimes de importunação sexual entrou em vigor em 24 de setembro. Só nos primeiros 15 dias de vigência, o DF registrou cinco crimes com essa denominação.

Antes, a importunação ofensiva ao pudor era apenas uma “contravenção”, ou seja, um crime de menor potencial ofensivo. Com isso, a única pena prevista era de multa. Agora, o crime prevê penas de 1 a 5 anos de prisão, e e é inafiançável.

O texto também aumentou as penas nos casos de estupro coletivo, quando cometido por duas ou mais pessoas. Divulgação de imagens de estupro, cenas de nudez, sexo ou pornografia, sem o consentimento da vítima, também é passível de detenção.

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.