Justiça manda soltar marido preso após morte de mulher encontrada carbonizada

O marido suspeito de matar a mulher encontrada carbonizada numa casa no bairro Saco dos Limões, em Florianópolis, na tarde de segunda-feira (3), foi solto na terça (4). Na audiência de custódia, a Justiça entendeu que não havia elementos para configurar o flagrante de Florisvaldo Pereira.

O corpo de Maria Francisca de Oliveira, de 47 anos, foi liberado no início da tarde desta quarta-feira (5), informou o Instituto Geral de Perícias (IGP). Apesar de ter sido encontrada queimada, a perícia apontou que a vítima morreu em decorrência de um tiro na região do intestino.



Pereira foi preso em flagrante e autuado por feminicídio, mas solto no dia seguinte.

Soltura

Conforme o despacho do relaxamento de prisão, Florisvaldo teria chegado à casa da vítima após a polícia e a Justiça considerou insuficiente a afirmação dos policiais de que ele teria apresentado versões contraditórias.

Da publicação, consta ainda que não foram encontrados elementos que presumissem que ele fosse o autor do crime. Com isso, foram abertas vistas ao Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). O G1 tentou contato com o órgão, mas não teve retorno.

Perícia

O IGP concluiu que a vítima não chegou a inalar fumaça e que quando a casa pegou fogo, Maria já estava morta, em decorrência de um tiro.

A Polícia Militar disse que o incêndio começou por volta das 16h30 e que quando chegou ao local, o Corpo de Bombeiros tinha controlado as chamas. Testemunhas disseram aos policiais que ouviram uma discussão na casa antes que a residência começasse a pegar fogo.

Uma vizinha contou ainda à polícia que quando percebeu o início do incêndio tentou conter o fogo, mas viu que tinha um cadeado trancado pelo lado de fora, que impedia a entrada no local.

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.