Motoristas de Uber reclamam de “invasão”

Uma invasão de parceiros do aplicativo Uber em Balneário Camboriú, vindos de outros estados e até da Argentina, está provocando revolta dos motoristas da região que atuam na cidade. Um grupo chegou a procurar a prefeitura de BC pedindo uma ação contra o que chamam de “estrangeiros”. Mas, segundo a prefeitura, ela está impedida de agir pela Justiça por conta de uma ação movida pelos próprios motoristas locais.

Os motoristas da região estimam que algo entre 400 e 500 carros de outros estados e de cidades catarinenses distantes da foz do rio Itajaí estejam atuando aqui.“Eu mesmo já vi motorista do nordeste”, diz o Uber Vinícius Silva, que é de Balneário.
Outro motorista, que enviou um áudio para o DIARINHO sem se identificar, afirma que a grande maioria dos “estrangeiros” está vindo dos dois estados vizinhos. “Mais ou menos 350 vindo do Paraná. Parece que tem uma caravana de 60 Ubers do Rio Grande do Sul”, afirmou. “Hoje, em Balneário Camboriú, tem 750 carros trabalhando de Uber. Mais ou menos uns 200 são da região da Amfri”, estima.

Vinícius reforça isso. Segundo ele, boa parte de Ubers que tem visto rodando na cidade são de Curitiba. “Eles estão alugando o carro e usando em três”, comenta.
O problema, afirmam os motoristas, é que com muitos parceiros dos aplicativos por aqui, o número de corridas despenca e cai também o valor. O resultado é prejuízo no bolso. “Eu fazia uma media de R$ 300, R$ 350 trabalhando 10, 12 horas por dia. Agora, aqui em Balneário, faço R$ 150, R$ 180”, diz Vinícius, calculando o prejuízo.

Para o motorista que enviou o áudio para o DIARINHO fazendo o apelo, a prefeitura estaria lavando as mãos. “Aqui em Balneário Camboriú não tem fiscalização. Está ao Deus-dará. E está quebrando nós que trabalhamos o ano inteiro e no dia a dia”, reclama.
Davi Damasceno, presidente do Sindicato dos Taxistas de Balneário, confirma a chegada de Ubers de outras regiões de Santa Catarina e também de outros estados. “Se daqui tem uns 150 (motoristas de Uber), já tem 350 de fora”, calcula. Os taxistas, segundo ele, também são prejudicados por conta disso.

“O município está de mãos atadas”, diz chefona do Fumtran

Maria Cristina Andrade, gestora do fundo Municipal de Trânsito (Fumtran) de Balneário Camboriú, informa que a prefeitura chegou a ser procurada por um grupo de motoristas parceiros do aplicativo Uber.
Eles foram pedir uma fiscalização contra os carros de fora da cidade e que não estariam beneficiados com a liminar que, ano passado, conseguiram na justiça para que possam trabalhar sem se regularizarem na prefeitura.
E é justamente por conta dessa liminar, explica a chefona do Fumtran, que os motoristas do Uber da região estão sendo prejudicados. “Com a liminar, a justiça proibiu a fiscalização. Por isso, a gente não pode fiscalizar. O município está de mãos atadas”, avisa.

“O escritório do Uber liberou carros de Curitiba, de Blumenau e de outras cidades. Tem até motorista da Argentina trabalhando aqui”, afirma Cristina. Vinícius Silva, parceiro do Uber e que é de Balneário, não descarta essa possibilidade.
A lei municipal, suspensa no ano passado pela liminar da justiça, determinava que para trabalhar em Balneário Camboriú o motorista de Uber teria que ter carro emplacado na cidade e ter registro e alvará emitidos pela prefeitura.
Por isso, para Davi Damasceno, presidente do sindicato dos Taxistas, os motoristas de Uber estão provando o próprio veneno. “Se eles deixassem a prefeitura regularizar, tavam agora trabalhando direitinho e ia ter fiscalização. Mas prefiriram arranjar um advogado pra conseguir uma liminar e deu nisso. Deram um tiro no próprio pé”, avalia.

Fonte: Diarinho

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com