Prefeitura ordena o fechamento dos 115 esgotos irregulares já notificados na Região do Marambaia

O prefeito de Balneário Camboriú, Fabricio Oliveira, determinou à direção-geral da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) o lacre das ligações irregulares no esgoto, na região que compreende a Bacia do Canal do Marambaia. A ordem, foi dada nesta segunda-feira (26), e é dirigida àqueles que já foram notificados pela Emasa sobre a ligação indevida. O lacre deverá ser colocado entre o final de semana e início da semana que vem em cerca de 115 ligações.

“Vistoriamos cerca de 27 mil residências e a decisão do lacre das ligações irregulares é necessária para o processo de despoluição. A segunda medida é a obra que está sendo encaminhada de uma nova rede para aumentar a vazão do volume de esgoto desta região em 100%. A terceira medida é a limpeza das águas do Rio Marambaia com biorremediador, uma tecnologia usada com sucesso em vários lugares do mundo, e que depende de liberação ambiental no IMA (Instituto Estadual do Meio Ambiente). E, por fim, a última medida será a implantação de uma estação de tratamento das águas do Marambaia, caso seja necessário. Então estamos confiantes que o emissário e os testes com biorremediadores irão resolver a questão da poluição do Rio Marambaia, mesmo assim continuamos com os demais cronogramas em andamento. Claro que para isso, precisamos da colaboração de todos, especialmente na implantação de ligações de esgoto corretas”, salientou o prefeito Fabrício Oliveira.



Um equipamento de vídeo inspeções foi reutilizado durante todo o dia para intensificar o programa Se Liga na Rede, nessa região. Numa análise feita durante os meses anteriores, foi constatado que dos mais de 27 mil imóveis nas proximidades do Rio (bairros Pioneiros, Ariribá, Praia dos Amores, Centro e Nações) fiscalizadas pelo Programa se Liga na Rede 40% possuem esgoto irregulares.

“Além das ações determinadas pelo prefeito, o Se Liga Na Rede foi essencial para mapear os problemas, detectar e notificar quem está irregular e vai continuar até que cada um tenha feito a sua parte”, disse o diretor-geral da Emasa, Douglas Beber.

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.