Criança morre após ser diagnosticada com “gases” em Navegantes

O corpo do pequeno Heitor Carvalho, de dois anos e nove meses, foi sepultado no final da tarde de ontem, no cemitério Jardim dos Florais, em Navegantes. A criança morreu na segunda-feira, após ter procurado atendimento no hospital de Navegantes por três vezes em 48 horas. O diagnóstico da médica do hospital foi “gases”. A direção do hospital abriu sindicância para apurar a morte.

Heitor morreu quando estava sendo transferido para o hospital Pequeno Anjo, por volta das 16h de segunda. Ele teve uma parada cardiorrespiratória e faleceu antes de chegar a Itajaí.

Tragédia

A família está desolada com a perda repentina e conta que no domingo a criança teve dores abdominais, fraqueza e palidez. O pai Alex Carvalho narra que foi duas vezes ao hospital de Navegantes no domingo. “Na parte da manhã e à noite, o pediatra se recusou a fazer o exame de sangue, ele pediu para procurarmos um posto de saúde na segunda-feira”, conta.

O médico que atendeu Heitor diagnosticou que ele estava com “gases” e receitou algumas medicações. Na segunda, a família foi até o postinho, que estava sem médico de plantão.
A criança piorou muito na segunda à tarde e a família voltou ao hospital. “Minha mãe notou ele quase se vida na maca, foram chamados os médicos e feito o procedimento, mas eu percebi ele já sem vida nos braços da enfermeira”, conta o pai.

O quadro era grave e o pequeno ia ser transferido pro hospital Pequeno Anjo, em Itajaí, quando faleceu. “Meu filho saiu de Navegantes morto, pra livrarem o hospital da culpa e empurram pro Pequeno Anjo, por falta de atenção de um pediatra inútil”, acusa o pai.
Pelas redes sociais, o pai do menino postou uma foto segurando a mão do filho no caixão. “Grato hospital de Navega pelo exame de sangue que vocês recusaram-se a fazer”, protestou. Alex agradeceu as mensagens de solidariedade e disse que espera que o caso possa servir de exemplo pra “acabar com essas palhaçadas na cidade”.

“Minha família é grande e grande vai ser a justiça porque Deus tá ali em cima vendo tudo”, escreveu. Alex adiantou que a família vai processar o hospital.

Sindicância interna

Claudete Hermogenes, secretária de Saúde de Navegantes, adiantou que foi aberto um procedimento interno para apurar a morte da criança. “Logo que tomei conhecimento dos fatos me dirigi à direção do hospital. Me informaram que irão instaurar uma sindicância interna. Desta forma, não há como saber da causa morte sem que os fatos e as circunstâncias sejam devidamente apuradas”, informou a secretária.

Comente Abaixo