Duas crianças morrem em acidente na 470. Elas estavam sem cinto

Socorristas que trabalharam no trágico acidente ocorrido na tarde deste sábado na BR-470, em Apiúna, explicam que a superlotação de um dos veículos e a falta de cinto de segurança contribuíram para a gravidade da ocorrência.

Emanuelly Ribeiro, de 4 anos, e Gabriely Ribeiro, de 9, morreram no local. As outras quatro pessoas que estavam com as meninas, três homens de 29, 30 e 43 anos e um menino de 6, foram encaminhadas em estado grave ao hospital.

O Vectra em que elas estavam bateu de frente com um Fox, que tinha placas de Penha. Os corpos das crianças foram enviados para o funeral em Coronel Vivida, no Paraná.

Foto: Divulgação/ND

Os quatro ocupantes do Fox, dois homens de 68 e 45 anos anos e duas mulheres de 63 e cerca de 55 anos também tiveram ferimentos graves. Eles estavam usando cinto de segurança, segundo informações dos bombeiros de Ibirama.

Cinto de segurança

De acordo com o bombeiro voluntário de Ibirama, John Kenedi, ao que tudo indica ao menos cinco ocupantes do Vectra estavam sem cinto. As meninas, que deveriam estar em uma cadeirinha e banco elevado, tampouco estavam sobre os equipamentos.

Com o impacto, ambas foram arremessadas sobre o capô do carro:

“Uma criança de um ano, quando é projetada, já pode matar um adulto. A superlotação contribuiu para que eles estivessem sem cinto e isso sim contribuiu para os óbitos”, lamentou o auxiliar de chefe de socorro.

Todos os sobreviventes tiveram ferimentos graves, como traumatismo craniano, abdominal, entre outras fraturas.

“Graças a Deus que o helicóptero Águia da PM já estava no local por causa das buscas do assalto, se o atendimento não tivesse sido imediato, teríamos mais mortes no local”, ressaltou John.

Além da equipe de Ibirama, os Bombeiros Voluntários da União, helicóptero Águia da PM e Samu de diversas cidades socorreram as vítimas. Os feridos foram encaminhados  a hospitais de Indaial, Ibirama e Rio do Sul. Muitos deles seguem na UTI.

“Se estivessem com cinto não teria sido a tragédia que foi, das crianças virem a óbito”, lamentou o subchefe dos Bombeiros Voluntários da União, Gerson  Vogel.

O acidente aconteceu na localidade de Ribeirão Carvalho, no Alto Vale do Itajaí.

Comente Abaixo